Investimentos em novas tecnologias no Rio Grande do Norte mostram resultados e fazem estado melhorar no setor
<
NACIONAL

Atualizado às 23h41min.
Os investimentos em inovações tecnológicas realizados recentemente estão finalmente mostrando resultado no Rio Grande do Norte. As críticas pela falta de atenção no potencial das novas tecnologias parecem ter ficado no passado, pois o estado tem divulgado as primeiras novidades no setor. Isso abre espaço, principalmente, para o mercado digital, que já é uma realidade em todo o país, em especial no que tange aos setores financeiro e do entretenimento.
A novidade mais recente foi anunciada pela NUT , startup criada na incubadora do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN). A empresa realizou o desenvolvimento de uma tecnologia voltada para o setor de saúde do estado. É um aplicativo para smarpthone que faz o monitoramento à distância de pacientes internados, com o objetivo de aliviar a carga dos profissionais, além de ter um cuidado maior com os tratamentos realizados. (Fonte: Unsplash).
Entretanto, esse é apenas um dos vários programas que o Rio Grande do Norte está desenvolvendo. No início de 2019, o estado ligou um alerta por ser uma das regiões que menos investe em Ciência e Tecnologia. Apenas o Tocantins e o Rio de Janeiro tinham índices piores. A expectativa é de que, nos próximos anos, o estado deixe as piores posições e se transforme em uma referência no país.
Assim, várias empresas estão conseguindo ganhar espaço para investir em novas tecnologias. Recentemente, a RN Tecnologia desenvolveu um software que faz o monitoramento inteligente de bacias hidrográficas. A empresa instalou, no final de 2019, o dispositivo em mais de 200 poços no Rio Grande do Norte. Esse é o tipo de resultado que o estado vai colher por começar a investir de maneira efetiva no setor que mais avança no país.

Mais tecnologia no Brasil

As novas tecnologias estão ganhando o país inteiro em diferentes setores, mas o impacto é maior em dois campos específicos. O primeiro é o mercado financeiro, que mudou completamente com as chegadas das fintechs brasileiras, principalmente se olharmos os bancos digitais. O impacto do NuBank e do Banco Inter no mercado é quase incalculável. As corretoras digitais, como a XP Investimentos e a Easynvest, também merecem algum destaque.

Entretanto, é o segundo campo que chama mais atenção. O entretenimento digital chegou como uma onda e engoliu quase todo o mercado tradicional. Por exemplo, as plataformas de streaming, como a Netflix e a Amazon Prime Video, tomaram quase todos os clientes da TV paga e hoje são líderes de audiência, como mostra o ranking recente do portal G1. O mesmo pode ser dito dos jogos online, tanto com os sites de apostas ou então com os videogames. O portal da Casinos.pt mostra que cada vez mais novas plataformas estão disponíveis online e ampliam a oferta no mercado de jogos de apostas, seja por meio de portais inovadores ou então em forma de aplicativos para smartphone. Já no mundo dos games, o destaque do portal The Enemy é pelo alto número de vendas que os consoles de última geração conseguiram por aqui, principalmente o Playstation 4 e o Xbox One.

Resultados no futuro

O Rio Grande do Norte ainda precisa de mais tempo para ver esse tipo de impacto na região. Afinal, o investimento no setor só começou a crescer no ano passado. Ou seja, iniciativas como da RN Tecnologia ou da NUT são apenas as primeiras dentro de várias que vão surgir. Projetos como o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) e o Programa de Pós-graduação em Inovação em Tecnologias Educacionais (PPgITE), por exemplo, são feitos em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) pensando no longo prazo.
As novas tecnologias chegaram para ficar, mas é preciso investimento na busca por resultados. O Rio Grande do Norte parece ter acordado apenas no ano passado, após o desempenho ruim no setor, e apesar disso mostra algumas iniciativas. Nos próximos anos, a região pode colher os frutos e ver que essas novidades vão favorecer diferentes áreas, desde a economia até a saúde e o entretenimento.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).