<

Atualizado às 23h18min.


VOLTA REDONDA

Moradores fizeram novo protesto no fim da tarde dessa segunda-feira (05), em frente ao condomínio Minha Casa, Minha Vida, do bairro Três Poços, em Volta Redonda-RJ. O motivo era a falta d’água. O problema era que não estava sem água o reservatório que abastece o residencial. Segundo o Saae-VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), o problema é erro de projeto.

Os moradores fecharam a Avenida Paulo Erlei Alves Abrantes, às 18h. O trânsito precisou ser desviado pela Vila Rica, já que o bairro abriga um importante centro universitário. O SUL FLUMINENSE ONLINE foi o único veículo de imprensa na cobertura do ocorrido. Foi uma hora de negociação até a chegada do diretor presidente do Saae-VR, José Geraldo Santos, o Zeca. Cerca de uma depois o trânsito foi liberado. Quatro caminhões pipa foram enviados.

Várias medidas serão tomadas, pela direção da autarquia, para tentar minimizar os problemas de construção do residencial. O Zeca explicou ao SFO que o problema é “de projeto”. Segundo ele, todos os condomínios do Minha Casa, Minha Vida na cidade possuem caixas d’água na cobertura dos prédios. No Três Poços a instalação não foi feita pela Caixa e a construtora responsável pela execução da obra.

– Tinha água até o terceiro piso dos prédios. Nos quarto andares não chega água. Erro de projeto e por isso a água não chega ao último andar. A Caixa é a responsável por fiscalizar e não permitir que os projetos fossem entreguem dessa forma – frisou.

Andares superiores não possuem reservatórios como em outros residenciais. (EXCLUSIVA – EVANDRO FREITAS)

O correto, segundo ele, era que cada um dos 30 blocos tivessem o próprio reservatório. Não que fosse feito um coletivo, como é hoje. São 480 apartamentos e cerca de duas mil pessoas morando no condomínio. Há três semanas outro protesto aconteceu, Zeca lembrou que na ocasião foi um problema elétrico que causou o desabastecimento.

– Mesmo não sendo obrigação do Saae-VR, vamos fazer um estudo para tentar criar um novo projeto para tentar solucionar o problema de erro de projeto. Vamos instalar um sistema de monitoramento para saber quanto e água chega e sai do reservatório. Vai monitorar toda falha de projeto e tentar ser mais ágil caso aconteça algum problema. Esse monitoramento será instalado em 60 ou 90 dias – afirmou.

Zeca disse ainda que a obra da nova adutora de água para o bairro, no valor de quase R$ 800 mil, está em 70% concluída. Ele revelou que fizeram um aditivo ao projeto. Agora além da Avenida Paulo Erlei, serão contempladas as ruas na parte alta do bairro. Ruas como a Monteiro, Bento Delgado, Rua 1, entre outras. A primeira fase da obra tem previsão até o início de abril para terminar. O aditivo até o fim de maio será finalizado, segundo o Saae-VR. Com o aditivo a obra chegará perto de R$ 1 milhão de investimento.

Chuva e Falta de Energia

(EXCLUSIVA – EVANDRO FREITAS)

Durante a entrevista feita por telefone, Zeca lembrou que a chuva forte que caiu na cidade na última sexta-feira (02), provocou a queda de energia na Estação de Tratamento de Água (ETA), no Belmonte. A estação ficou cerca de cinco horas parada. O que, segundo o diretor, refleetiu em toda cidade.

Zeca ainda comentou que a líder dos moradores do condomínio disse que nessa segunda (05) houve pico de energia no residencial. O que, segundo o diretor, pode ter agravado o problema.

Pedra no sapato

(EXCLUSIVA – EVANDRO FREITAS)

Como se não bastasse o problema com a chuva e a queda de energia, o diretor do Saae-VR levantou outra preocupação no que diz respeito ao fornecimento de água. Segundo ele, o Rio Paraíba do Sul, devido a constantes chuvas, vem apresentando altos índices de turbidez na água. Isso significa que pode chegar a um ponto do Saae-VR e nenhuma cidade da região conseguir captar e tratar a água.

– Estamos monitorando diariamente esse índice. Esse problema pode além de danificar nosso equipamento de captação, também nos obrigar a parar de tratar água. Se aumentar a turbidez, teremos que esperar uma “correnteza” de água passar imprópria passar para retornar a captação. Por isso é muito importante que todos economizem água. Estamos em alerta, mas essa é mais uma preocupação – finalizou.