Acusado da morte de brasileira na Argentina confessa o crime

0
614
Acusado da morte de brasileira na Argentina confessa o crime
Foto: Divulgação.
INTERNACIONAL

Atualizado às 19h16min.
O homem preso em Bariloche, na Argentina, acusado como sendo o principal suspeito do assassinato de Eduarda dos Santos Almeida, de 27 anos, que era de Angra dos Reis, confessou o crime em audiência realizada no domingo (20). Fernando Alves Ferreira, de 26 anos, se declarou culpado perante o juiz, segundo a polícia local.
– Gostaria de receber apoio psicológico e me declaro culpado pela morte de Eduarda Santos. Sou responsável. Não planejei, mas tive a opção, considerando que minha vida estava em perigo. Desculpe, mas minha vida veio em primeiro lugar – disse Fernando, de acordo com o jornal argentino Diário do Rio Negro, contrariando a própria defesa, que havia dito que ele não testemunharia.
Fernando é de São Paulo, mas também morou Angra dos Reis, segundo a família. Ele era pai dos filhos gêmeos de Duda, como a vítima era conhecida. Entretanto, conforme a investigação, as crianças foram registradas em nome de outro homem com quem ela já viveu e que faleceu. “Voltar ao Brasil não era uma opção. Eu não fugi porque não quis, eu poderia ter feito isso. Aqui meus filhos estão protegidos. A família do meu falecido marido mora com eles. Se a Justiça Argentina mandar meus filhos para o Brasil, eles arriscam a vida deles. No Rio tem traficantes e todo esse tipo de coisas”, disse o suspeito, segundo o jornal Clarín.
Família de Angra faz campanha para trazer corpo de jovem da Argentina
Eduarda já havia trabalhado na Argentina outras vezes e pretendia voltar para o Brasil. Foto: Reprodução.
O juiz de garantias Sergio Pichetto determinou a abertura de um inquérito, com prazo de quatro meses, e decretou a prisão preventiva do suspeito para evitar o risco de fuga e obstrução da investigação. A Justiça defende que se trata de um caso de feminicídio, já que a relação dos dois era marcada pela violência de gênero, abusos psicológicos e econômicos. “Não estou me baseando no que Ferreira disse, porque seria simplista, estou me baseando no que os promotores disseram”, justificou o magistrado.
A apuração dos dois promotores destacados para o caso confirmou que no carro de Fernando foram encontradas manchas de sangue da vítima. O Ministério Público argentino acredita que o crime tenha ocorrido na madrugada de quarta-feira (16). A reconstituição aponta os dois percorreram o caminho em direção ao mirante do lago Escondido, na rota turística do Circuito Chico, em um Chevrolet Joy. Ferreira estava na condução e Duda no banco do passageiro. Então, ele estacionou o veículo e efetuou os disparos com uma arma, deixou a mulher morta no local. O corpo foi encontrado por um turista, que chamou a polícia. Segundo o Diário do Rio Negro, a brasileira morava em Bariloche há alguns meses, mas estava pensando em voltar ao Brasil. A família de Eduarda tenta conseguir fundos para fazer o traslado do corpo para o Brasil, que fica em torno de R$ 16 mil.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:  
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por opiniões de leitores na matéria).