Atualizado às 09h30min. 

VOLTA REDONDA / BARRA MANSA
Uma noite para esquecer, mas que entra para história de duas cidades do Rio, pode conta do volume de água que caiu em Volta Redonda e Barra Mansa. Segundo a Defesa Civil foram 170 milímetros de chuva que caiu nas duas cidades na noite de domingo (08). Vários alagamentos, córregos transbordando e deslizamento de terra foram registrados.
Carros boiaram no Retiro, Vila Santa Cecília, em Volta Redonda. Em Barra Mansa, uma casa ficou com terra por conta de um deslizamento. Na Rua Paulo VI, no Retiro, um barranco desabou em cima de uma casa. O supermercado Royal ficou alagado pela água e funcionários trabalham para tirar a lama, no início dessa manhã.
Escolas de Volta Redonda, atingidas pela chuva, suspenderam as aulas por conta dos transtornos causados pelas enchentes. Na Vila Santa Ceília, o Colégio Estadual Manoel Marinho, registrou alagamentos e não haverá aula nesta segunda.
Na entrada do bairro Açude, também em VR, uma encosta cobriu a entrada principal do bairro. A lama foi removida durante a madrugada. A água ainda danificou o sistema de bombeamento do Saae-VR, na entrada, recém-inaugurado. O diretor Executiv do Saae-VR, José Geraldo da Silva, o “Zeca”, informou que o reparo na rede de bombeamento do Açude já foi resolvido.
Lama cobre ruas do Centro de Volta Redonda e causa congestionamentos na cidade.
A ETA-Belmonte (Estação de Tratamento de Água), por conta da falta de energia, ficou inoperante na noite de domingo. Os reparos foram feitos e está funcionando normalmente, mas o abastecimento ainda não está normalizado. O Saae-VR aconselha que os moradores de todo cidade economizem água. A normalização no serviço se dará de forma gradual.
Durante toda manhã os prefeitos das duas cidades, Rodrigo Drable (MDB), de Barra Mansa, e Samuca Silva (PSDB), de Volta Redonda, falaram nas rádios informando os estragos e transtornos causados pela chuva.
– Fazemos um apelo para quem teve a casa interditada que não retorno para a residência – pediu Rodrigo.
Samuca revelou que o volume de água “nunca teria caído na cidade”. “Nunca vimos um volume tão grande de água assim na cidade. Na sexta choveu 70mm de chuva e causou vários estragos. O volume mais que dobrou ontem”, lamentou o prefeito. (Foto: Divulgação).