Hospital São João Batista
(ARQUIVO)
Foto: Arquivo - SFO.
VOLTA REDONDA

Atualizado às 13h06min.
Depois de indícios de desvios de dinheiro envolvendo o governador Wilson Witzel (PSC) e o presidente do partido, Pastor Everaldo, na saúde do estado do Rio, a prefeitura de Volta Redonda decidiu rescindir os contratos de gestão dos hospitais São João Batista e Munir Rafull do Retiro. As unidades estavam sendo geridas por organizações sociais que teriam suspeitas de envolvimento com o pastor.
Prevendo possíveis irregularidades, a prefeitura antecipou o desvinculo. Por um prazo de 30 dias, a Secretaria Municipal de Saúde irá reassumir a gestão dos dois hospitais. Uma reunião com os servidores que são chefes dos setores do Hospital São João Batista aconteceu nea segunda-feira (31). Logo após, foi feita uma reunião com os profissionais do Hospital do Retiro para informar a decisão.
A secretária municipal de Saúde, Flávia Lipke, informou que todos profissionais que estão atuando nos dois hospitais serão contratados por tempo determinado de seis meses diretamente pelo município.
– Isso visa manter os excelentes serviços prestados pelos profissionais na nossa rede. Mas as organizações estavam deixando a desejar nas metas de atendimento à população. E as notícias recentes sobre as operações das OSs no Rio nos fazem tomar medidas de legalidade e transparência – defendeu a Secretária.
Segundo ela, os salários dos funcionários, abastecimento de insumos e demais necessidades das unidades serão assumidos pela secretaria.
– Criamos comissões para atuar nessa transição nos dois hospitais. Isso vai garantir a transição e o acesso à população a saúde de qualidade. A SMS irá garantir o atendimento e o abastecimento -garante Flávia.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).