Mais uma morte por covid-19 em Volta Redonda
<
VOLTA REDONDA

Atualizado às 18h45min.
A maior cidade do Sul do Rio está perto de passar a marca de mil mortes pelo novo Coronavírus. No entanto, confirmou mais mortes por Covid-19 nesse fim de semana. Agora a cidade chega à marca de 941 pessoas que perderam a vida para a doença. Apesar disso, toda semana, são registros de festas clandestinas, aglomeração e bebedeira em praça pública e gente que não respeita o mínimo, como usar máscara.
Nossa equipe passou pela Feira-Livre da cidade no domingo (6) e flagrou várias pessoas andando sem máscara com se não existe um decreto obrigando o uso, nem uma doença mortal andando por aí. Guardas municipais, policiais militares e até pessoas comuns, orientam para que as pessoas levantem as máscaras e protejam a si e ao próximo. Mesmo assim, a cada 50 metros se vê alguém desrespeitando a medida. Será que essas pessoas perderam alguém da família, amigos, conhecidos para essa doença. Ou só estão achando que é tudo uma brincadeira.
Segundo o boletim epidemiológico do dia, a taxa de ocupação de leitos na rede hospitalar segue abaixo de 80%. Nas UTIs da rede pública, o índice é de 74%, enquanto na rede privada está em 43%. No entanto, os leitos clínicos têm ocupação de 51% nos hospitais públicos e de 28% nos privados.
No sábado (5), Pinheiral, que é um dos menores municípios da região, registrou a 61ª morte por Coronavírus. O paciente, segundo a secretaria, tinha 76 anos, portanto já devia ter sido vacinado, mas era portador de uma doença neurológica crônica. A cidade tem 2.802 casos confirmados, com 33 pessoas em isolamento domiciliar e 12 internadas fora do município, que tem um único hospital e uma rede hospitalar pequena para atender a demanda.
A pergunta que se fazem as autoridades e aqueles preocupados com as causas da doença é… por que ainda tem gente que cisma em desobedecer? Colocar em risco o outro, a família e a si mesmo. A troco de que? Se alguém souber a resposta, por favor, coloque nos comentários.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).