Atualizado às

VOLTA REDONDA
As doses de vacinas contra a gripe H1N1 acabaram em 4 horas de imunização em Volta Redonda, no Sul do Rio. No primeiro dia da Campanha Nacional de Vacinação foram vacinadas 11 mil pessoas, alcançando 14% do público-alvo. Com isso, o primeiro lote de vacina contra a Influenza recebida pela cidade está esgotado. A Secretaria Municipal de Saúde já entrou em contato com o Governo do Estado solicitando mais doses da vacina.
A Campanha Nacional de Vacinação começou nesta segunda-feira (23), em todo Brasil. O Ministério da Saúde vai disponibilizar, de forma escalonada, cerca de 80 mil doses para Volta Redonda.
Segundo o secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, ainda durante essa semana, a cidade vai receber mais oito mil doses. “Vale destacar que as vacinas são enviadas pelo Ministério da Saúde, através do Governo do Estado. Nossa expectativa é que até quinta-feira (26) possamos já ter as doses em nossa cidade. Nesse primeiro dia de vacina, fizemos as aplicações em locais diferentes das Unidades Básicas de Saúde, como Cras e igrejas. Assim que nossa cidade receber as novas doses, vamos realizar a vacinação através de drive-trhu e aplicações a domicilio”, afirmou o secretário.
Neste ano, o Ministério da Saúde mudou o início da campanha, de abril para março, para proteger de forma antecipada os públicos prioritários contra os vírus mais comuns da gripe. A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para coronavírus, já que os sintomas são parecidos.
No próximo dia 16 de abril, a campanha de vacinação contra gripe começa atender professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além dos doentes crônicos. A partir de 9 de maio, a vacina será estendida para crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), adolescentes de 12 a 21 anos que cumprem medidas socioeducativas, população e funcionários do sistema prisional, população indígena e ainda pessoas de 55 a 59 anos, que foram acrescentadas ao público alvo da campanha em 2020.
Foto: Secom/VR.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).