Atualizado às 11h34min.

VOLTA REDONDA
O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, abriu a Conferência Municipal de Saúde na noite desta sexta-feira (12), no Teatro Maestro Franklin de Carvalho Júnior, anexo ao Colégio Getúlio Vargas, no bairro Laranjal, afirmando que a discussão democrática e participativa tem como objetivo principal fomentar e melhorar a saúde pública no município.

– São mais de 800 pessoas, representantes da população que usa o serviço público de saúde, profissionais da área, gestores e prestadores de serviço, trocando experiências e buscando soluções para avançar – ressaltou Samuca.

Ele acrescentou que nomeou o ano de 2019 como o ano da saúde para Volta Redonda, mas lembra que em 2018 foram muitas realizações. “Fomos o terceiro município que mais investiu em saúde em 2018. Foram R$ 230 milhões aplicados e precisamos trabalhar para que os resultados apareçam para população em forma de atendimento ágil e eficaz”, falou o prefeito.

– Reconhecemos os problemas, mas estamos na busca constante da melhoria da qualidade. Já implantamos o Hospital do Idoso, segundo do Brasil e o primeiro do Estado do Rio de Janeiro. Abrimos a Clínica de Diálise, inauguramos as novas unidades de saúde do Padre Josimo e Água Limpa e vamos abrir a do São Sebastião. No bairro Água Limpa também ganhou a Clínica Descentralizada de Fisioterapia e ainda realizamos concurso público para contratação de novos profissionais. Foram muitas conquistas, mas queremos ainda mais”, comemorou o chefe do Executivo.

Ainda na abertura da conferência, o secretário Alfredo Peixoto, lembrou do esforço para atender as demandas da população. Ele citou os números de 2018 como a realização de 52 mil exames de imagem, 350 consultas na atenção básica e 144 mil com especialistas.
– Trabalhamos com dedicação, critério técnico, atenção às pessoas e acolhimento para oferecer um bom serviço à população – afirmou, agradecendo aos participantes que vão nortear as ações para saúde até 2021, através de propostas para o Plano Municipal de Saúde.
A presidente do Conselho Municipal de Saúde, Luzia Quintino, defendeu a discussão sobre o papel do SUS (Sistema Único de Saúde). “É o melhor e maior plano de saúde”, afirmou. O vereador Washington Uchôa, representando o legislativo municipal, agradeceu ao prefeito pelo empenho com a saúde. “Vejo nessa gestão o compromisso com o bom atendimento à população”.

Na plateia estavam alunas do curso técnico de Enfermagem do ICT (Instituto de Cultura Técnica). Elas foram convidadas pela professora de Saúde Pública e Estudos Regionais e aceitaram o desafio de conhecer mais sobre o funcionamento do SUS.

– Vimos nessa conferência uma oportunidade de aprendizado, troca de experiência e de vivenciar a saúde pública do nosso município – comentou a estudante de enfermagem, Rafaela Alves.

A Conferência Municipal de Saúde de Volta Redonda termina no domingo,dia 14. Serão apresentadas propostas a serem incluídas no Plano Municipal de Saúde, elaborado em 2018 e válido até 2021.

No evento ainda haverá a eleição dos novos membros do Conselho Municipal de Saúde, que assumem o mandato em janeiro de 2020, e da delegação municipal para a 8ª Conferência Estadual de Saúde, que será realizada entre 24 e 26 de maio. (Fotos: Evandro Freitas).

1 COMENTÁRIO

  1. Estão esquecendo de oferecer assistência médica aos servidores públicos de VR, ativos, inativos e seus dependentes. São milhares de pessoas sem este atendimento. Na teoria tudo funciona , mas na prática não é bem assim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui