Viatura da Guara de Volta Redonda é atingida por tiro durante fiscalização
Foto: Enviada por Leitor.
<

VOLTA REDONDA


Atualizado às 20h18min.
Uma viatura da Guarda Municipal de Volta Redonda foi atingida por um tiro, durante a ação de fiscalização no carnaval. O disparo atingiu o capô do carro. Segundo fontes do SUL FLUMINENSE ONLINE o carro oficial era usado em uma fiscalização de uma festa clandestina em um dos condomínios do Minha Casa, Minha Vida, no bairro Três Poços. Ainda não se sabe de onde partiu o disparo, nem se foi dado dentro do condomínio.
No mesmo dia que eu a marca do tiro foi percebida, a Guarda e a Polícia Militar foram acionadas para verificar uma denúncia de festa, com som alto e aglomeração. Tudo aconteceu na madrugada da última segunda-feira (15). Servidores da Guarda procuraram o portal para denunciar que muitos agentes de serviço estão fazendo fiscalização em áreas de risco e em áreas que há a presença de facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas.
A principal reclamação é de que os agentes não têm equipamentos de proteção, como coletes balísticos, para uso individual. “A PM tem armamento e colete para entrar nesses locais e nós guardas? Isso Assusta e nos deixa com a sensação de medo de exercer a profissão”, lamenta um guarda, que preferiu não se identificar.
A população pode até dizer que o guarda não tem que cuidar da rua. Porém, a Lei determina que logradouro público, no caso a rua, é bem público e tem que ser guardado e protegido. Do outro lado, o medo de agressões ou atentados contra os agentes vem aumentando, segundo os guardas que conversamos. Muitos reclamam e dizem que o tráfico não faz nada com eles “porque não querem”.
– Muitos estão ficando com medo de trabalhar. O ideal era a prefeitura e a câmara de vereadores regularizasse o porte de arma, em serviço, para dar um pouco mais de segurança para todos – desabafou outro agente ouvido pelo SFO.
Sem equipamentos de proteção e defendendo a sociedade
Agentes reclamam de falta de proteção e medo de sofrer agressão ou atentado a tiros. Foto: Reprodução / Google.
A Guarda de Volta Redonda possui hoje cerca de 100 revólveres e 40 pistolas no armamento. As pistolas foram, recentemente, doadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os coletes que a guarda tem, segundo uma fonte, estão vencidos desde 2001. Ou seja, há mais de 20 anos. Existe uma verba para compra de equipamentos, liberada pelo deputado federal Antonio Furtado (PSL), mas que ainda não chegou.
Sobre o tiro que atingiu a viatura, a prefeitura afirmou que “já instalou procedimento para apurar o ocorrido. Até que tudo seja devidamente apurado, todo o restante será tratado como especulação”, segundo a assessoria de comunicação. Procuramos o comandante da Guarda, João Batista dos Reis, para resposta e como sempre nos atendeu cordialmente, mas desta vez ele pediu que procurássemos a Secom/PMVR (Secretaria de Comunicação) que respondeu sobre o ocorrido. O caso foi registrado na 93ª DP e está sendo investigado.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.