Atualizado às 17h24min.

VOLTA REDONDA
O vereador Jari Simão (PSB) disparou contra o presidente do Inea-RJ (Instituto Estadual do Ambiente), Cláudio Dutra, durante um discurso na tribuna da Câmara de Volta Redonda, na sessão de quinta-feira (6). O motivo era, segundo o parlamentar, a conduta do presidente sobre o assunto que vem dividindo a Casa, a obra particular na Rodovia dos Metalúrgicos, em frente a entrada do bairro Jardim Belvedere.
– Ao invés de defender o meio ambiente, esse senhor veio como advogado de defesa de um empresário e da prefeitura – frisou o parlamentar.
Ele se referia a postura do presidente do Inea-RJ que depois de uma vistoria ao local da obra, os técnicos teriam apontado denúncias de crime ambiental, no aterramento de nascentes de água e de uma lagoa. Ele ainda diz que o presidente “não esteve no local” e mesmo assim declarou que “não foi paralisada” a obra.
– Os técnicos do Inea-RJ fizeram um trabalho de excelência. Fica aqui meu repúdio a esse senhor, Cláudio Dutra. Aquela obra causou grande transtorno à população. Trânsito, falta d’água e poeira – afirmou o vereador.
Tentamos contato com o Inea-RJ para saber uma posição do presidente sobre as acusações. Até o momento desta publicação, os e-mails enviados não foram respondidos. Caso respondam, este texto será atualizado. (Foto: Arquivo).

Na qualidade de vereador, em exercício pleno das minhas funções, acompanhei ontem parte do processo de vistoria feitos por técnicos do Inea na obra de um empreendimento imobiliário que é feita na altura da Rodovia dos Metalúrgicos.Obra que foi denunciada pela população como causa de inúmeros crimes ambientais. E que causou transtornos a milhares de pessoas. cerca de 30 mil cidadãos ficaram sem água por dias. Houve interrupção de serviços de telefonia, internet e outros. Uma vergonha.Ao final dos trabalhos de vistoria, no fim da tarde de quinta-feira, os técnicos foram taxativos: a obra deveria ser embargada, principalmente no trecho onde havia uma lagoa e minas d'água. As suspeitas de crimes ambientais estão cada vez mais perto de serem comprovadas.Só que a vergonha maior estava por vir.De noite, o Inea através do seu Presidente Cláudio Dutra solta uma nota sobre o caso, dizendo que a obra não estava embargada. No meio da nota, no entanto, confirma que a obra foi parcialmente paralisada no trecho da lagoa.Vejam bem: o Inea é um órgão que – ao menos em tese – deveria servir principalmente na defesa do meio ambiente. E me divulga uma nota primeiro atuando como uma espécie de advogado dos empresários e da prefeitura, pois aquela obra é uma PPP, como jjá disse nosso prefeito Samuca Silva.Somente mais abaixo a nota fala da paralisação parcial dos serviços.Em momento algum a nota exalta o trabalho dos técnicos, que encontraram muitas irregularidades no local. E que corroboram com as denúncias feitas pela população. Estou aqui para exaltar os técnicos do Inea, lamentar a posição da diretoria e, principalmente, para dar um recado a cada pessoa que se envolveu nesta luta.Vocês foram, vencedores, pois os crimes ambientais estão praticamente comprovados e a obra embargada no foco das irregularidades.

Posted by Jari Oliveira on Friday, June 7, 2019


Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.