<
Atualizado às 13h11min.

BARRA MANSA
O Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) convocou a imprensa na manhã de quarta-feira 20), depois que uma denúncia de maus tratos tomou as redes sociais na terça (19). Estudantes publicaram na internet que dois funcionários teriam jogado um cachorro do segundo andar de um dos prédios do Campus de Barra Mansa, no Sul do Rio.
O animal teria entrado em uma das salas de aula e os funcionários teriam tentado tirar o cachorro. Ao se recusar sair, os funcionários teriam atirado o animal pela janela.
A universidade enviou nota à imprensa dizendo que “mediante constatação de maus tratos a um cão dentro da instituição, que está sendo apurado e, se necessário, serão tomadas as medidas cabíveis dos responsáveis”.
A coletiva de imprensa foi convocada perto da 10h da manhã para às 11h30min. Este veículo não pôde comparecer e vai aguardar uma nota oficial da instituição sobre o que foi falado na coletiva. Não há informações sobre o estado de saúde do cachorro. (Foto Ilustrativa).

Nota Oficial na íntegra:

“O UBM — Centro Universitário de Barra Mansa — informa que para averiguação de um suposto caso de maus tratos a um cachorro dentro da instituição, foi criada uma Comissão Interna. Esta Comissão conta com integrantes da comunidade acadêmica, administrativa, estudantes e representantes de instituições da sociedade civil.
O UBM comunica que, até o momento, não há conclusão definitiva do caso, que segue em apuração, considerando as diversas versões que foram divulgadas sobre o assunto.
Esclarecemos também que não houve atendimento a nenhum cão na Clínica de Pequenos Animais do UBM e nenhuma morte de algum animal nas dependências do campus na tarde de segunda-feira (18), quando teria acontecido o suposto acidente.
Reiteramos, ainda, que a instituição é a principal interessada em esclarecer o ocorrido. Portanto, assim que tivermos uma conclusão definitiva, iremos comunicar a todos.
Por fim, reforçamos que o UBM é contra qualquer tipo de maus tratos aos animais e repudia atos desta natureza. A instituição está à disposição para quaisquer dúvidas e esclarecimentos”, dizia a nota.