Três cidades da região já anunciaram compra particular de vacinas contra Covid-19
Foto: Geraldo Gonçalves/Secom-VR.
<
SUL FLUMINENSE

Atualizado às 13h45min.
As prefeituras de Volta Redonda, Barra Mansa e Barra do Piraí anunciaram, que vão aderir ao consórcio público municipal para aquisição de vacinas contra a Covid-19. O consórcio foi criado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e pretende adquirir, por conta própria, doses dos imunizantes direto com os laboratórios. A decisão veoio diante da demora do governo federal em enviar as vacinas para os municípios.
Em Volta Redonda, o prefeito Antonio Francisco Neto enviou à tarde o documento de manifestação preliminar de interesse no consórcio. A Câmara de Vereadores aprovou, na sessão da noite, o pedido do prefeito para comprar as doses. Isso vai acontecer para as cidades que quiserem comprar, com recursos da União ou próprio, em caso de descumprimento do Plano Nacional de Imunização (PNI) ou de insuficiência de doses.
O movimento liderado pela FNP foi aprovado pelo Senado e tem previsão de ser legalmente constituído até o próximo dia 22 de março. O consórcio também está apto a adquirir insumos e equipamentos que sejam necessários para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.
– Temos todo o interesse em imunizar toda a nossa população o mais rápido possível e não vamos medir esforços para que isso aconteça – destacou o prefeito.
A FNP reúne 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, mas os municípios que estão fora desse escopo também podem participar. Até o momento, quase 300 cidades já indicaram intenção de participar. Em Barra Mansa, o prefeito Rodrigo Drable (DEM) revelou que vai manter esforços para garantir a vacinação da população. “Nosso compromisso com a população está acima de qualquer outra dificuldade. Faremos todo o esforço para garantir que a população seja vacinada o quanto antes”, afirma.
Barra do Piraí faz adesão à compra direta de vacinas pela Frente Nacional de Prefeitos
Foto: Divulgação.
Em Barra do Piraí, o secretário Municipal de Saúde, Wagner Teixeira, que dois pontos estão “em defasagem”, uma vez que os municípios estariam recebendo pequena quantidade de doses da vacina. Ele lembrou da compra feita pelo município, ainda em janeiro, do quantitativo de 40 mil doses.
– Somente com este número, Barra do Piraí iria imunizar 20 mil pessoas; correspondente a todos os mais de 13 mil idosos acima dos 60 anos, como exemplo. No entanto, estamos enfrentando esta burocracia, o que compromete a imunização de grande parte da população, mesmo já tendo compradas as 40 mil doses. Não as recebemos pois o Ministério da Saúde decidiu ficar com todas elas, como vimos no cenário nacional, para a distribuição a partir da esfera da União”, explica Wagner.
O chefe da pasta ainda fez menção à decisão do STF e que a cidade está em busca de doses para imunizar mais rápido as pessoas. “A Saúde tem pressa, e nós não podemos ‘dormir no ponto’. É mais uma vitória contra a morosidade do Ministério da Saúde”, desabafou Wagner.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).