<
Atualizado às 07h02min. 

VOLTA REDONDA
A secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana de Volta Redonda (STMU) vai mudar mais uma vez o trânsito de ruas no bairro Jardim Amália I. A ideia, segunda a secretaria, é “melhorar a fluidez do trânsito da região e facilitar a vida dos motoristas”. A partir da próxima sexta-feira (1º), as ruas Dr. Miguel Couto e Senador Pinheiro Machado terão os sentidos invertidos e a Rua Senador Alfredo Ellis funcionará em mão dupla no trecho entre a Miguel Couto e a Pinheiro Machado.
“Pretendemos melhorar o trânsito da cidade e especificamente na região do Jardim Amália, Jardim Normandia e Morada da Colina. Esta mudança do sentido da rua faz parte da complementação da mão inglesa. Vai dar maior fluidez ao trânsito e agilidade a quem acessa esses bairros. Caso as alterações não deem o retorno esperado, teremos humildade de voltar atrás”, explicou o secretário municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, Maurício Batista.
O diretor de Mobilidade Urbana da STMU, Igor Azevedo Mota, explicou como a mudança vai afetar os motoristas na prática. “Atualmente, os moradores desses bairros sobem a Rua Dr. Miguel Couto, passando em frente ao Hospital Hinja e saem do bairro descendo pela Rua Senador Pinheiro Machado. Com as mudanças, os moradores vão subir pela Pinheiro Machado e descer pela Dr. Miguel Couto”, alertou.
As alterações visão terminar com os constantes congestionamentos que existiam logo abaixo do viaduto e que se prolongava até a rodovia nos horários de pico. Comerciantes do local ouvidos pela equipe se disseram favoráveis a alteração das ruas. “Vai melhorar muito porque estava ficando o dia inteiro engarrafado. A mudança acaba com isto”, diz Frederico Barreto dono de uma empresa. “Acredito que vai liberar mais o trânsito, ganhar rapidez e acabar com os gargalos na rotatória”, disse o empresário Allan Maycon.
O proprietário da loja de doces, Mateus Penteado, também é favorável: “As mudanças previstas serão boas no bairro”, alegou. “Vai ficar 100% melhor porque os veículos obrigatoriamente passarão na minha porta, sem engarrafamentos”, concluiu a dona de um salão de beleza, Cátia Alves. A coordenadora de qualidade de um hospital na localidade, Letícia Mesquita, é favorável. “Se é para melhorar o trânsito, vale a pena testar para dar certo”, frisou. (Foto: Evandro Freitas).