<

Atualizado às 10h20min.


VOLTA REDONDA

A Tarifa Comercial Zero, o ônibus elétrico de Volta Redonda, começou a circular na manhã desta quarta-feira (18). O veículo elétrico interliga os quatro principais pontos comerciais da cidade (Vila Santa Cecília, Aterrado, Retiro e Centro). O ônibus, que é o primeiro adquirido por um governo no Brasil, circulará de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e no sábado, até as 14h, tem total acessibilidade e zero poluição. Esse é o primeiro ônibus elétrico público do Brasil.

– O projeto é tão inovador que já foi premiado, no prêmio Prefeito Empreendedor do Sebrae. Mas, mais que isso é aquecer a economia, levando os consumidores aos principais centros comerciais da cidade, sem interferir nas linhas convencionais. Além disso, o veículo não provoca poluição sonora e nem atmosférica. Com tudo isto vamos melhorar a mobilidade de Volta Redonda”, enfatizou Samuca Silva, prefeito de Volta Redonda.

O veículo com ar condicionado, internet Wi-Fi e ligações USB para recarregar aparelhos moveis. “O objetivo é tirar carros das ruas e interligar os centros comerciais, formando o maior centro comercial ao ar livre da América Latina”, comentou Samuca.

Técnicos da secretaria municipal de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU) escolheram seis pontos de embarque e desembarque. São eles: avenida Paulo de Frontin (em frente à prefeitura); Vila Santa Cecília (atrás do Escritório Central); Avenida Gustavo Lira (Centro); Rua Eduardo Junqueira (Centro); Avenida Lucas Evangelista, no Aterrado (em frente ao Sesi); e no cruzamento da Avenida Sávio Gama com Rua Campos (Retiro).

A primeira etapa é com um veículo, podendo chegar a três até o final deste ano. No ápice do projeto, com os três ônibus elétricos, o intervalo entre as viagens será de apenas 20 minutos, segundo informou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães.

O novo transporte, já chamado pela população de ‘Samucão’, agradou os primeiros passageiros. “Bem confortável, não tem barulho e menos poluente, o que é mais importante”, afirmou soldador Oswaldo dos Santos Henrique, 31 anos, que percorreu o trecho do Aterrado à Vila Santa Cecília.

Quem compartilha da mesma opinião é o aposentado Luis Inácio de Oliveira, 70 anos. “Gostei muito, bem confortável. Eu não pago passagens nos ônibus tradicionais, mas a partir de hoje vou optar em andar na Tarifa Comercial Zero”, contou ele, que fez todo o percurso – do Aterrado ao Retiro.