<
Atualizado às 23h31min.

VOLTA REDONDA           
Paulo Maurício Barros Pereira, principal suspeito de matar a tiros a advogada e corretora de imóveis Karina Gerofalo, de 44 anos, há exato sete dias, na Barra da Tijuca, no Rio, se entregou na noite dessa terça-feira (21), na delegacia de Volta Redonda/RJ (93ª DP).
Ele foi apresentado pelo advogado criminalista Ruyz Alcântara Filho. Ele foi escoltado para o presídio no Rio, onde ficará até que a Delegacia de Homicídios (DH), responsável pelo caso na capital, definir que participação ele tem ou não no crime. Paulo é primo do ex-marido da vítima, Pedro Paulo Barros, apontado como mandante do homicídio.
Na quinta (16) passada a Justiça decretou a prisão preventiva dos primos. Até a publicação desta nota, o ex-marido continuava foragido. O advogado de defesa e Pedro chegou a afirma na semana passada que ele “estaria deprimido” com a morte da ex-esposa, com quem estaria brigando na Justiça por bens avaliados em R$ 3 milhões.
O filho do casal, de 13 anos, teria reconhecido o primo do pai, acusado de ter feito os disparos. Imagens de câmeras de segurança e depoimento de testemunhas ajudaram a polícia identificar que Paulo Maurício dirigia o carro semelhante ao usado no momento do crime. O corpo de Karina foi sepultado na manhã de sexta-feira (17), no Cemitério Portal da Saudade, na Cidade do Aço, onde ela nasceu.
Karina Garofalo era filha do empresário Pepe Garofalo, ex-dono da distribuidora de jornais de Volta Redonda. Ela atuava como corretora de imóveis no Rio. As imagens de um shopping mostram que ela era seguida por Paulo Maurício, primo do ex-marido. A mesma imagem mostra um homem usando a moto de Pedro Paulo Júnior na perseguição. A polícia ainda tenta identificar quem seria este terceiro suspeito.