Atualizado às 14h18min.

VOLTA REDONDA
Mesmo com muitos indícios que apontam para um vizinho do casal morto a facadas em Volta Redonda, no último sábado (31), a Polícia Civil (93ª DP) ouviu o principal suspeito de matar a facadas, Júlio Maria de Moura, de 71 anos, e Irene Faustina de Moura, de 75, e liberou o homem depois de negar participação no duplo homicídio. Vizinhos afirmam que os desentendimentos eram constantes entre o suspeito e o casal, por conta de cabras que os idosos criavam no quintal.
O delegado titular responsável pelo caso, Fraquis Dias Nepomuceno, afirmou que está em busca de imagens de câmeras de segurança para tentar identificar o assassino. Testemunhas e parentes prestaram depoimento na delegacia sobre o caso. O casal foi encontrado morto a facadas no quintal da casa onde moravam, na localidade conhecida como Mirante do Vale, no bairro Retiro.
– O crime é estarrecedor e merece uma pronta resposta, mas a investigação depende de inúmeros fatores. A gente está realizando diligências na localidade em busca de câmeras, buscando depoimento de familiares e de outras testemunhas, tentando melhor elucidar o que aconteceu. Para aí sim chegar de maneira categórica a autoria – defendeu o delegado.
Segundo vizinhos, as vítimas eram ameaçadas de morte pelo principal suspeito. Até a mãe do rapaz teria sido vista ameaçando o casal com um pedaço de madeira. Segundo apurou o SUL FLUMINENSE ONLINE, o casal precisou de escolta policial para chegar um dia em casa. Eles ainda registraram duas ocorrências a respeito do caso. Uma feita na Deam (Delegacia Especializada da Mulher), em abril deste ano e outra no dia 19 de agosto passado.
O suspeito foi ouvido na tarde desta terça-feira (3), mas, nega todas as acusações. No entanto, de acordo com o delegado, apenas o registro das ocorrências não serve como provas concretas do caso.
– Temos dois registros de ocorrência que estão em fase de conclusão. A pura e simples existência desses registros não sinaliza necessariamente provas ou indícios contundentes de autoria. A gente ainda está numa fase muito preliminar das investigações para afirmar isso”, frisou Franquis.
Foto: Redes Sociais.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).