<
Atualizado às 00h37min.

VOLTA REDONDA
Sem dar trégua, policiais militares do 28º Batalhão, estão desde as primeiras horas do dia patrulhando o bairro Água Limpa e localidades vizinhas, em Volta Redonda, para tentar manter a ordem depois de uma troca de tiros entre facções que terminou com a morte de um suspeito, apontado como chefe do tráfico de drogas. Ele morreu depois de trocar tiros com a PM.
A PM, em mais uma ação desencadeada pelo comando da tenente-coronel Luciana Rodrigues, denominada “Tolerância Zero”, na quinta-feira (27) aprendeu uma arma, munições, drogas e materiais para embalar droga e de comunicação. A apreensão foi na mesma avenida, Visconde do Rio Branco, onde aconteceu no confronto que resultou na morte na noite de quarta (26).
Todo material estava em mochilas com dois suspeitos. Os agentes encontraram um revólver e 17 munições calibre 38, 25 tabletes e uma bolsa com cerca de 300 gramas de maconha, um tablete de cocaína, um sacolé e 160 pinos da mesma droga e 240 pedras de crack. Além de três mil pinos vazios, três rádios de comunicação e oito bases para carregar este tipo de equipamento, balança digital e R$ 240 em dinheiro.
Moradores relataram medo de sair na rua, durante a quinta-feira (28). Um intenso movimento de viaturas tirou a rotina dos moradores. Um foguetório, no fim da manhã, teria sido provocado por uma facção rival, em uma suposta comemoração pela morte de Diogo Nonato Monção da Cruz, de 39 anos. Ele foi sepultado no fim da tarde de quinta, no Cemitério Portal da Saudade. (Foto: Divulgação).
Arma foi apreendida na ação na tarde de quinta-feira (27).

 


Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).