Atualizado às 17h20min.

RIO DE JANEIRO
Subiu para cinco o número de mortos em decorrência do desabamento de dois prédios na Muzema, no Rio de Janeiro, nessa sexta-feira (12). Cláudio Rodrigues, de 41 anos, foi retirado dos escombros com vida e levado para o Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca, mesma região onde ocorreu a queda do edifício, mas não resistiu. Ele teve quatro costelas quebradas, quatro paradas cardíacas e água no pulmão. Os corpos de duas vítimas ainda estão nos escombros, segundo informações no início da noite.
Um homem e um menino, ainda não identificados, também morreram. A esposa de Cláudio, de 38 anos, e a filha, de 08, também acabaram debaixo dos escombros. A menina passa bem e está no mesmo hospital do pai. A mãe, levada para o Hospital Lourenço Jorge, está em estado grave.
Outros dois sobreviventes foram levados para o Lourenço Jorge: Raimundo Nonato Ferreira Gomes, 41, que teve escoriações na cabeça, e Luciano Paulo dos Santos, 38, que chegou à unidade com múltiplas escoriações. As demais vítimas seguiram para o Hospital Miguel Couto.
Os dois prédios, de quatro e cinco andares, foram interditados pela prefeitura do Rio, em 2018. Uma liminar autorizou a moradia. Em janeiro de 2019, a  prefeitura notificou novamente, mas ninguém saiu. Dois prédios laterais serão demolidos e as famílias receberam aluguel social.

Os sobreviventes

  1. Clara Rodrigues, 8 – Hospital Unimed Rio (estável)
  2. Adilma Rodrigues, 35 – Lourenço Jorge (grave no CTI)
  3. Raimundo Nonato Ferreira Gomes, 41 – Lourenço Jorge (escoriações)
  4. Luciano Paulo dos Santos, 38 – Lourenço Jorge (escoriações)
  5. Evaldo Vireira da Silva, 46 – Miguel Couto (dores)
  6. Carolina Ferreira Andrade – Miguel Couto (sem estado de saúde)
  7. Arlan – Miguel Couto (sem estado de saúde)

Passadas mais de cinco horas do desabamento de dois prédios no condomínio Figueiras do Itanhangá, na Muzema, Zona Oeste do Rio. Enquanto um agente da Defesa Civil diz que há quatro corpos de pessoas mortas debaixo dos escombros, o subcomandante do Corpo de Bombeiros, coronel Marcelo Gisler, afirmou que duas pessoas mortas foram retiradas por moradores antes da chegada da corporação.
Segundo ele, sete pessoas ficaram feridas e foram resgatadas, sendo duas por helicóptero e outras duas por veículos dos bombeiros.