Atualizado às 18h37min.

BARRA MANSA
Dia trágico para família de um jovem que só queria trabalhar e ter o próprio sustento. Ferido enquanto trabalhava, Lailson Portilho Gomes, de 25 anos, perdeu a vida no hospital, depois de um acidente com um elevador de carga, na loja recém-inaugurada da Rede Royal, em Barra Mansa no Sul do Rio. Ainda não está claro o que aconteceu. Os Bombeiros, nesse caso, não revelaram o que de fato levou o recém contratado a morte.
O que será que houve naquele elevador que tirou a vida de um jovem forte e cheio de sonhos? “Resta saber se o laudo com a causa da morte e o que de fato aconteceu será divulgado”, perguntou um leitor ao nosso portal. A única informação, não oficial, é de que ele teria sido atingido pelo elevador que despencou.
A Rede Royal de supermercados, que existe há 60 anos, é a maior de Volta Redonda e uma das maiores do Sul do Estado do Rio. Com lojas cinco lojas na Cidade do Aço, além de um grande centro de distribuição; duas em Barra Mansa; uma em Resende e uma em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.
Na nota divulgada a outros veículos de imprensa na tarde do dia do acidente, terça-feira (09), só foi enviada a nossa redação na tarde desta quarta-feira (10), às 16h, depois que a nossa equipe entrou em contato com o setor de marketing da empresa.
No texto, que não traz sequer uma assinatura de um responsável, a rede de supermercados lamenta a morte do funcionário, diz que está prestando auxílio a família e que é “a primeira vez que um fato como esse acontece em nossa história”.
A empresa, depois de críticas por continuar de loja aberta depois do acidente, afirmou que fecharia na hora do sepultamento do funcionário morto. O enterro, no Cemitério Municipal, aconteceu às 13h. (Foto: Reprodução Site Oficial).

 

Veja nota:


Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

1 COMENTÁRIO

  1. Lamentável, meus sentimentos aos familiares e amigos, que seja feita uma investigação minuciosa dos fatos.
    Que se faça justiça…

Comments are closed.