Atualizado às 23h03min.

PARATY
O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) divulgou que seis chapas diferentes fizeram o registro para candidatura de novas eleições suplementares a prefeito e vice-prefeito de Paraty, na Costa Verde do Rio. A votação está marcada para o dia 4 de agosto deste ano.
Concorreram os candidatos seja morador do município e tenha se filiado a um partido político até 4 de fevereiro de 2019. Os pedidos de registro serão julgados até o meio de julho. Entre os candidatos, está o ex vice-prefeito Luciano Vidal, que foi afastado do cargo por abuso de poder político.
Na lista completa estão Anderson Maia dos Santos (candidato a prefeito) e Claudinei Conti Torres Pinho (candidato a vice) Partido Humanista da Solidariedade (PHS); Fuad José Minair Neto (candidato a prefeito) e Joel José de Sampaio (candidato a vice) do Partido Democracia Cristã (DC); José Carlos Porto Neto (candidato a prefeito) e Rodrigo Carlos da Silva Penha (candidato a vice) da coligação “Experiência e Renovação” (PTB, PROS); Lucas José de Oliveira Aquino (candidato a prefeito) e Manuela Rubem Alvarenga Vasconcellos (candidata a vice) da coligação “Paraty para Todos” (PMB, Avante); Luciano de Oliveira Vidal (candidato a prefeito) e Valdecir Machado Ramiro (candidato a vice) da coligação “Paraty não Pode Parar” (MDB, PP, PDT, Solidariedade e PRB); Ronaldo dos Santos (candidato a prefeito) e Gabriela Dutra Gibrail (candidata a vice) do Partido dos Trabalhadores (PT).
Decisão do TSE abriu nova disputa

A decisão das novas eleições foi tomada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após a cassação dos mandatos do prefeito Casé Miranda (MDB) e vice-prefeito Luciano Vidal (MDB). Enquanto não a eleição não chega, quem assume o governo do município é o presidente da Câmara de Vereadores, Valceni da Silva Teixeira (DEM).
Casé e Luciano foram afastados sob acusação de abuso de poder político, na campanha eleitoral de 2016. A decisão foi tomada em abril de 2017. Sobre a decisão de cassação, feita em maio deste ano, a prefeitura de Paraty informou que foi notificada da decisão. O prefeito e o vice recorreram ao STF. Mesmo recorrendo ao processo, a decisão das novas eleições não pode ser mais mudada.