<
Foto: Arquivo - SFO.  
VOLTA REDONDA

Atualizado às 20h14min.
Em setembro, a prefeitura anunciou que pretende desmobilizar o Hospital de Campanha montado no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. A unidade vou montada para atender pacientes do Covid-19. O prefeito Samuca Silva (PSC) anunciou na tarde de quinta-feira (20) que pretendei desmontar a estrutura.
– Com o controle da doença a nossa rede é capaz de sustentar os pacientes”, alega o prefeito.
No entanto, o chefe do Executivo disse que a proposta será levada ao Ministério Público. Independente da decisão, as medidas de isolamento começam ser afrouxadas. Em primeiro lugar, a partir dessa sexta-feira (21), pela primeira vez desde o anúncio da pandemia, idosos e crianças poderão ir a shoppings e igrejas. Os horário serão definidos e a prefeitura não vai intervir.
– São as próprias igrejas e shoppings que vão fixar estes horários e nós vamos fiscalizar”, explica.
Por outro lado, o prefeito disse que os horários vão vigorar até 21 de setembro. Ou seja, daqui um mês. Posteriormente, estará liberado para todos os horários. O prefeito descartou o retorno das aulas na rede pública este ano. Portanto, contrário a decisão do governador que autoriza o retorno na educação do estado e particulares.
– Não vamos colocar 30 mil alunos para circular na cidade. Não existe segurança para isso – frisou.
Apesar disso, na segunda-feira (24) haverá uma reunião para discutir o assunte entre as escolas privadas e o Ministério Público. Por outro lado, o prefeito se diz contra o retorno das aulas nas escolas particulares. Ele argumentou que “é preciso ouvir todas as opiniões”.

Vítimas do COVID-19

Na live exibida na tarde de quinta-feira (20), o prefeito confirmou mais três mortes foram confirmadas. Com isso o índice subiu para 167 óbitos pela doença. Uma mulher, de 79 anos, faleceu nesta quinta. Os outros dois óbitos foram de homens, de 92 e 75 anos. Os resultados chegaram confirmando que eles estavam infectados.
No entanto, subiu 1,4% os casos suspeitos, em relação a última atualização. Agora são 16.043. Já os casos confirmados são 4.689, com 4.085 curados e 7.718 exames negativos. A ocupação de leitos de UTI na rede municipal está em 21%, enquanto no Hospital de Campanha se encontra em 12%. A diminuição dos casos e a queda de internados, segundo Samuca, justificaria o fechamento do Hospital de Campanha.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).