<
Atualizado às 18h45min.

VOLTA REDONDA
O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva (PSC) anunciou na transmissão pelas redes sociais que o comércio da cidade ficará fechado até depois da Páscoa. A primeira ordem é que o retorno deve acontecer no dia 13, segunda-feira. Os que estão autorizados a abrir permanecem da mesma forma.
A recomendação, segundo o prefeito, foi feita pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que discutiu essa semana com ele e as entidades empresariais que desejavam a reabertura nessa sexta-feira (3). Samuca voltou a comentar que prefere 1,7 desempregados do que 1,7 mil famílias “arrasadas pela doença”. Esse número foi divulgação por entidades lojistas de demissões em 10 dias.

Sobe os casos

A prefeitura ainda revelou que 52 casos confirmados da doença. Até o momento foram duas mortes, um casal de irmãos idosos e sem nenhuma outra morte suspeita pela doença. Ainda subiu de quatro para nove pessoas internadas pelo Covid-19.
Os novos infectados são quatro homens, dois de 76 anos, e o restante de 68, 54, 46 e 34. Mais três mulhers de 76, 59 e 46 anos. O número de suspeitos chegou a 410 casos. Diante dos números, o prefeito voltou a afirmar que tem muita gente nas ruas e citou outros países que estão fora de controle de contaminação, com Estados Unidos e Inglaterra e Equador. Ele reforçou ainda que vai manter a suspensão de gratuidade dos idosos nos ônibus.
O prefeito ainda anunciou que os estabelecimentos que estão autorizados a funcionar terão que oferecer máscaras para os funcionários. Ele ainda pediu que as pessoas que tenham que ir na rua possam usar máscara. A prefeitura vai reproduzir no site oficial o material do Ministério da Saúde ensinando como fazer a peça.
Outra medida anunciada é de que feirantes do ramo alimentício, somente esse, poderão usar um local fixo para funcionar por até 60 dias. Uma autorização especial da Secretaria Municipal de Fazenda será emitida para isso. “Só aqueles que trabalham apenas com alimentos”, enfatizou Samuca.
Smuca ainda criticou que as empresas de ônibus não estariam “respeitando o limite de passageiros”, que teriam que viajar apenas sentados. Ele disse que está multando quem desrespeita. Ela ainda revelou que vai anunciar medidas sociais e econômicas, no próximo domingo (5) para a cidade. Novos rumos para distribuição de merenda aos estudantes, cestas para famílias de baixa renda até de ajuda federal para prefeituras.
Foto: Arquivo – SFO.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).