Atualizado às 15h08min.

VOLTA REDONDA
A Comissão que avalia os serviços da OS Mahatma Gandhi que administra o Hospital Municipal Munir Rafful, recebeu essa semana, do prefeito de Volta Redonda Samuca Silva (PSDB), a orientação para que seja realizada a primeira auditoria na unidade hospitalar depois de mais de quase 90 dias de operação.
A OS, depois de vencer o processo licitatório, começou a administrar o Hospital do Retiro, na segunda quinzena de dezembro de 2018. A função da Comissão Especial é fiscalizar toda a execução do contrato da Organização Social. Ela será composta, além do presidente, por um membro da Controladoria Geral do Município (CGM), um da Secretaria Municipal de Administração (SMA); um da Secretaria Municipal de Fazenda (SMF), e três indicados pelo Poder Executivo.
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, a empresa tem metas a serem cumpridas durante o período de vigência do contrato, que é de 24 meses. “Os resultados atingidos pela administração do hospital serão analisados, periodicamente, pela comissão de avaliação, que vai emitir um relatório. Com base nisso, poderemos verificar se o atendimento à população está conforme as normas e na qualidade que o cidadão merece”, explicou.
Para o prefeito, as constantes auditorias, representam mais que estar cumprindo as exigências legais. Representam a essência desse novo modelo de gestão da saúde na cidade. “Isso é o que a sociedade espera de nós. A escolha da OS foi feita através de um processo sério e cada vez mais vamos fortalecer a questão da fiscalização e da auditoria. É assim que vamos garantir para toda a sociedade, a transparência fundamental quando se administra os recursos públicos”, frisou Samuca.
Além da secretaria municipal de Saúde (SMS), o Conselho Municipal de Saúde também tem participação na fiscalização do trabalho realizado pela OS e se ela está cumprindo as metas estabelecidas. A forma de contratação de profissionais também foi profissionalizada. Foi realizado um processo seletivo para contratação, priorizando os melhores profissionais, garantiu o chefe do Executivo.
Samuca ainda reforçou que a OS é cobrada através de metas estipuladas e indicadores. “Reforço que 2019 será o ano da Saúde. Em breve, a população poderá avaliar cada unidade. Também adquirimos o Hospital Santa Margarida que vai entrar em operação em breve. Já no Hospital do Idoso, também criado no nosso governo, foram atendidas mais de mil pessoas”, concluiu. (Foto: Divulgação).