<
Atualizado às 22h10min.

RIO DE JANEIRO
“Um dia histórico para Volta Redonda”. Foi assim que o prefeito Samuca Silva definiu a assinatura do decreto de incentivos fiscais para o Polo Metalmecânico e a cadeia do aço. A assinatura do governador Wilson Witzel aconteceu na terça-feira (15), no Palácio Guanabara, sede do Governo do Estado, no bairro da Laranjeiras no Rio.
Sete empresas da cadeia do aço já assinaram protocolos de intenção para se instalarem em Volta Redonda. A expectativa é que entre 3,5 mil e 4 mil empregos diretos sejam criados no município, segundo o prefeito.
– Esse é um grande momento para Volta Redonda e para todo Estado do Rio. Quero agradecer muito ao governador Wilson Witzel que entendeu essa necessidade. A partir da próxima semana já vamos receber empresas analisando áreas e iniciando seus processos de instalação – destacou Samuca.
Samuca lembrou que o processo da aprovação dos incentivos para cadeia do aço começou em Volta Redonda em 2017, em uma reunião entre a prefeitura e a Companhia Siderúrgica Nacional.
O governador Wilson Witzel disse que entendeu a demanda feita ao Governo do Estado e a necessidade dos incentivos para atrair empresas.
– Os incentivos fiscais não diminuem a arrecadação. Ao contrário. Incentivam mais empresas a se instalarem, gerando emprego e renda. Será mais uma fase pro Rio de desenvolvimento. A cidade será muito beneficiada com esse decreto – disse o governador.
O Secretário de Estado de Fazenda, Luiz Claudio Rodrigues, destacou que o decreto gera competitividade ao Rio.
– Este decreto busca trazer competitividade para o estado do Rio. A determinação do governador sempre foi essa. Nossas medidas são para termos novamente a industrialização do Estado do Rio. E isso passa por uma simplificação tributária, que seja simples, clara e isonômica. O que fazemos nesse momento é fazer com que o Rio volte a ter competitividade – destacou.
Empresários dos estados de Goiás, Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, e outros, participaram do encontro. O presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, discursou em nome das empresas. E ressaltou os investimentos que serão feitos pelo setor no Rio.
– Estou aqui tendo a honra de falar em nome de dezenas de empresários. O governador entendeu o que é o norte da classe empresarial: que é ter condições iguais de trabalho, estabilidade e previsibilidade. Nós temos que ter o imposto no valor agregado. O Rio de Janeiro vai ganhar impostos com isso, porque teremos mais empresas no Estado, gerando mais empregos e mais renda – declarou, ao finalizar que mais de 60 empresas do setor estavam na assinatura.
Foto: Divulgação / PMVR.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).