PSOL lança professora com pré-candidata à prefeita
Foto: Divulgação/PSOL.
VOLTA REDONDA

Atualizado às 15h30min.
O Psol (Partido Solidariedade e Liberdade), confirmou na última terça-feira (8), a pré-candidatura da professora Juliana Carvalho para a prefeitura de Volta Redonda. A convenção aconteceu online, como medida de segurança contra a pandemia do Coronavírus. Juliana destacou que o principal objetivo da sigla, ao lançar o nome dela é o combate das opressões.
– A luta que se impõe nesse momento é a luta pela vida e contra qualquer forma de exploração e opressão. Nesse partido, que aliás é fruto de movimentos sociais diversos, debatemos nossa realidade e buscamos alternativas para atuar sobre ela – explicou a professora.
Juliana destacou também que trabalhará para que a CSN volte a produzir em prol da cidade e não pelo lucro desmedido, a custas da exploração do povo voltarredondense e de outros.
– O Psol se coloca nessa luta propondo uma outra política e assume de forma coerente a necessidade da taxação de terras pertencentes a cidade e que hoje se encontram como propriedade da CSN. Essas terras representam um quarto da nossa cidade e não possuem função social. Não dá mais para aceitar uma prefeitura que entende que sua função é ajudar o empresário a gerar emprego – criticou a candidata do Psol.
A professora pontuou ainda que levará para os debates pautas históricas do partido que fundamentam, inclusive, a escolha de seu nome já que ela é mulher, negra e cultua uma religião de matriz africana.
– Volta Redonda foi uma cidade, embora machista, em que a luta de classe esteve na ordem do dia. Queremos recuperar essa história, lembrando o protagonismo da maioria negra, veio construir a CSN. Além das mulheres na participação das lutas da cidade, se organizando em associações de moradores, clubes de mães de forma autônoma. A partir dessa história, queremos debater machismo, racismo religiosos e ambiental. Além disso, defender a liberdade religiosa, propor medidas contra o feminicídio, contra o genocídio da juventude negra e contra a LGBTfobia – resumiu.
Juliana fez questão de homenagear uma figura histórica do partido em Volta Redonda, a também professora Maria das Dores Motta, a Dodora fazendo referência à sua trajetória não apenas na sigla socialista, mas na luta propriamente dita. “Nossas candidatas e candidatos a vereador e vereadora são fruto da luta das mulheres, dos negros, LGBTs e contra a exploração da classe trabalhadora nessa cidade e construíram esse programa coletivamente, assim como todo o partido e movimento social que nos compõe. É preciso coragem para seguir e isso nós temos!!! Nossos passos veem de longe!”.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).