Atualizado às 21h19min.

VOLTA REDONDA
Começou tumultuada na Câmara de Vereadores de Volta Redonda, na noite de quinta-feira (06). De um lado mais motoristas de aplicativos e do outro, taxistas da cidade, que querem ver regulamentada a lei para exploração da atividade econômica de transporte individual por meio de aplicativo.
Antes da sessão, taxistas de motoristas de aplicativos, se estranharam no plenário. Segundo testemunhas, dois integrantes do grupo dos aplicativos foram até o lado que estavam os taxistas e se sentaram. Pouco depois um levantou um capaz “Eu Sou Uber” e a confusão começou. Teve socos e pontapés até a chegada da guarda municipal que conteve os ânimos. Ninguém foi preso ou quis prestar queixa.
A segurança foi feita por 20 policiais militares do 28º Batalhão e mais 20 agentes da Guarda Municipal. O presidente da Casa, Washington Granato teve dificuldade para iniciar a sessão, por conta dos ânimos aflorados. Ele explicou como seria o tramite da votação e que seria feito em duas fases. “Vamos tentar entender que aqui será feito o que é melhor para população. Precisamos regulamentar o serviço de transporte por aplicativo em Volta Redonda. Faremos o que for melhor para todos, principalmente, pela população Vamos votar em primeira votação e abrir prazo de 48 horas para as emendas dos vereadores”, frisou Granato.
Muitos gritos e vaias dos dois lados até o início da leitura da mensagem que chegou a casa. A introdução foi lida pelo vereador Nilton Alves de Faria, o Neném. Em seguida, o vereador Rodrigo Furtado leu a mensagem enviada pelo prefeito. A cada ponto um lado descordava e o outro aplaudia. Foi assim durante cerca de uma hora de leitura.
O vereador Jari comentou que é “contra como a mensagem está regulamentando”. Já o vereador Washington Uchôa disse que “a população é que deve ser a beneficiada”. “Ninguém é contra os motoristas de aplicativo’, declarou.
Na votação, o vereador Paulinho do Raio-X e Jari votaram contra a mensagem. Os outros 19 vereadores votaram a favor do texto que ainda sofreram emendas. Na semana que vem, provavelmente na quinta-feira (13), as mudanças serão lidas e votadas. Granato, em conversa com a nossa equipe, garantiu que vai votar a matéria antes do recesso, programado para o dia 15.