Atualizado às 16h30min.

VOLTA REDONDA
O segundo suspeito de participação na morte da cerimonialista, Emiliene Pereira, de 47 anos, foi preso no domingo (14), por agentes do Serviço Reservado da PM (P2). Ronan Rodrigues, que não teve a idade revelada, havia sido citado como participante na ação que resultou na morte da cerimonialista, quando o irmão dele, Leonardo Rodrigues Moreira, o Leozinho, de 20 anos, foi preso em Santa Rita de Jacutinga, em Minas Gerais, no meio de jnho deste ano.
Em uma matéria EXCLUSIVA publicada pelo SUL FLUMINENSE ONLINE apontava que Ronan teria tido participação na morte da cerimonialista. Parentes e conhecidos dele foram até a redes sociais e por e-mail ameaçaram acionar a Justiça se o nome dele não fosse retirado da matéria. O setor jurídico do SFO preferiu fazer a mudança.
A mensagem dizia “Bom dia queria que vcs tirassem a notícia falsa do nome do Ronan pois e mentira ele não está no mandato não e foragido e nem e do trafico ,além de tudo ele e apenas irmão do leonardo caso vocês não tirem a notícia irei procura um advogado para processar vocês por falsa notícia calúnia e difamação”.
A prisão comprova que Ronan tinha mandado de prisão expedido pela Justiça. Ele foi detido no Residencial Ingá II, no bairro Santa Cruz. Mesmo local que a cerimonialista foi baleada nas costas e morreu. Ele foi cercado em um carro de luxo, que possivelmente é clonado foi apreendido.
Ronan ainda está sendo investigado por pelo menos outras duas mortes no bairro. Os irmãos teriam abordado o carro da cerimonialista e mandaram baixar o vidro. Nervosa, ela teria arrancado sem baixar. Foi o momento que Leonardo teria atirado. Ronan teria chegado a ameaçar o marido da vítima. Ele disse que “só não matava ele ali mesmo, por que não saberia o motivo”. Testemunhas já reconheceram os dois. (Foto: Reprodução).

 


Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).