Atualizado às 19h43min.

VOLTA REDONDA
Depois de quase 15 dias, o principal suspeito da morte do casal de idosos em Volta Redonda, no Sul do Rio, foi preso na tarde de sexta-feira (13). Carlos Alberto Barros de Queiroz, o “Jacaré”, de 28 anos, chegou a ser considerado foragido e acabou detido por um mandado de prisão expedido pela Justiça.
Ele teria chegado a se refugiar na favela da Vila Kennedy, no Rio, segundo os investigadores. Ele era procurado desde que o mandado foi expedido. A prisão aconteceu em Volta Redonda, mas o local não foi revelado.
Mesmo este veículo denunciando que ele era o principal suspeito do crime, baseado em depoimentos EXCLUSIVOS que tivemos acesso, de vizinhos e quem vive e conhecia o casal de idoso, ele foi ouvido e liberado pelo delegado titular da 93ª DP, Franquis Nepomuceno. Ele chegou a dizer para uma reportagem que “não há elementos suficientes para prender o suspeito, baseado em um registro de ameaça. A pura e simples existência desses registros não sinaliza necessariamente provas ou indícios contundentes de autoria”, afirmou o delegado dois dias depois do crime, ao ressaltar que investigação estava em fase preliminar.
Os corpos de Júlio Maria de Moura, de 70 anos, e de sua mulher, Irene Faustino de Moura, de 75, foram encontrados próximos perto porta da cozinha da casa onde moravam, na Rua 3-A, no bairro Mirante do Vale. Eles foram mortos a facadas no sábado 31 de agosto deste ano.
Os idosos chegaram a ceder parte do terreno para que Jacaré e a família construísse uma casa. Ele até doaram material de construção para que a obra fosse concluída, segundo fontes próximas ao casal. Mesmo assim, Jacaré teria implicado com quatro cabras que eles criavam no terreno e chegou a construir um muro para impedir a passagem da idosa com os animais.
Carlos Alberto ainda não foi ouvido depois da prisão. Nós chegamos a noticiar que um desentendimento do suspeito com o casal teria envolvido a mãe do rapaz. Ela foi vista por vizinhos, em frete a casa do casal, com um pedaço de madeira na mão em uma das ocorrências de ameaça que foi registrada na delegacia. Carlos deve ser ouvido e vamos saber se ele vai manter a versão de que não foi responsável pelo crime.
Foto: Divulgação.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui