Atualizado às 20h17min.


VOLTA REDONDA

A Prefeitura de Volta Redonda decretou na tarde desta sexta-feira (25), Estado de Emergência no município. O decreto foi assinado pelo prefeito Samuca Silva (PODEMOS), diante da falta de abastecimento geral na cidade, por causa da greve dos caminhoneiros, que já dura cinco dias. O movimento afetou o fornecimento de combustíveis e demais insumos.

O prefeito justificou a decisão baseado na falta de abastecimento está “acarretando severas dificuldades na prestação dos serviços públicos essenciais”. Segundo ele, a situação pode ocasionar total colapso na saúde, educação, mobilidade e segurança pública. “A interrupção da prestação de serviços públicos essenciais poderá afetar a população de Volta Redonda e isso que a gente quer evitar com o decreto”, destacou o prefeito.

Com o decreto, o município poderá adotar medidas excepcionais para a racionalização de todos os serviços públicos essenciais, que são: atendimento à saúde (transporte de pacientes, distribuição de insumos e medicamentos), educação (transporte e distribuição de alimentos), transporte coletivo urbano, coleta lixo, segurança pública e defesa civil.

O procurador geral do município, Augusto Nogueira, explicou que um dos artigos do decreto dá prioridade para o município comprar combustível. “Estamos atuando dentro da lei. O artigo 4º do decreto diz que todas as empresas que comercializam combustível no município devem assegurar prioridade para o atendimento dos serviços públicos essenciais”, explicou o procurador.