Atualizado às 14h57min.

ITATIAIA
A avaliação preliminar da perícia suspeita que a policial civil, Gabriela Savignon, encontrada morta em um apartamento em Penedo, distrito turístico de Itatiaia, no Sul do Rio, tenha tido um infarto ou parada cardíaca. Somente exames mais detalhados poderão apontar a verdadeira causa da morte. Não se sabe se algo que ela tenha ingerido, como um medicamento, teria provocado o possível mal súbito. Caso a suspeita se confirme, a possibilidade de um suicídio será descartada.
Gabriela foi enterrada na tarde de domingo (24), no Cemitério Portal da Saudade, em Volta Redonda, também no Sul do Estado. O sepultamento aconteceu sem velório e com caixão lacrado.
A perícia ainda constatou que não houve qualquer sinal de violência no quarto que levasse a suspeita de que ela pudesse ter sido assassinada. Os objetos do quarto estavam no lugar. O corpo teria ficado por quatro dias e apresentava avançado estado de decomposição. Por isso o sangue visto no chão do quarto.
O corpo da inspetora foi encontrado na manhã de sábado (23), depois que vizinhos perceberam um cheiro forte vindo do apartamento dela, no Condomínio Solar, na Estrada do Vale do Ermitão. Autoridades usaram uma escada para ter acesso a uma das janelas de onde foi possível ver Gabriela sobre a cama.
Ela foi encontrada de bruços e com um edredom sobre o corpo, sem cobrir a cabeça. Gabriela estava afastada da polícia há dois anos para tratar uma depressão. Ela tinha um filho pequeno que estava com o pai. (Foto: Redes Sociais).