Atualizado às 12h41min.

VOLTA REDONDA
Policiais federais da delegacia de Volta Redonda, no Sul do Rio, foram para uma missão pela vida, na manhã de terça-feira (31). Cerca de 15 agentes doaram sangue, no hemonúcleo do Hospital São João Batista, que em tempos de coronavírus tem tido baixa adesão por conta do isolamento social. O delegado Pedro Paulo Simão tomou iniciativa e foi seguido pelos outros agentes.
Por conta da falta de doadores, o hemonúcleo tem ficado em uma situação delicada. O delegado Pedro Paulo Simão da Rocha foi quem iniciou o movimento de solidariedade na delegacia e ressalta que em tempos difíceis como agora é ainda mais importante doar.
– Todo mundo tem que ajudar o próximo. Me lembrei que estamos numa época de isolamento social, as pessoas estão em casa. Os hemonúcleos que já sofrem no dia a dia com poucos doadores, em época de pandemia, o quadro tende a piorar. Eu viria sozinho, mas conversei com outros agentes que também aderiram a esta ação – destacou o delegado.
Ele ainda lembrou que outras corporações e órgãos podem aderir a campanha e ser unir para doar. Quanto mais voluntários mais vidas poderão ser salvas.
– Tomara que sirva de exemplo para outros órgãos como a PF e outros possam se juntar e trazer a maior quantidade possível de pessoas para doarem. A previsão é aumentar o consumo e que todos possam vir praticar esse gesto. Vamos ter fé que tudo vai passar e não podemos desistir – frisou o delegado.
O hemonúcleo de Volta Redonda fica no Hospital São João Batista, e funciona de segunda a sexta, de 7h às 13h. Os interessados em doar precisam apresentar documento com foto, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais que 50 kg e estar com boa saúde.

Agentes doam sangue

Fotos: Evandro Freitas.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).