Atualizado às 16h29min.

VOLTA REDONDA
A PM ocupou, na manhã desta quarta-feira (22), o bairro Padre Josimo e comunidades vizinhas para tentar encontrar e prender o suspeito de atirar e matar o policial militar Leonardo Silva Pinho, na madrugada durante um confronto a tiros como suspeitos de tráfico. Ele foi o quarto policial morto do estado somente este ano. O tiroteio aconteceu na Rua 15.
A comandante do 28º Batalhão da PM, onde o cabo era lotado, tenente-coronel Luciana Rodrigues, confirmou que o atirador já estaria identificado. Segundo a PM, o cabo estaria em patrulhamento quando se deparou com suspeitos armados em uma moto que atiraram. Um outro carro, que estava no lado da viatura que estava o policial, segundo colegas do agente, teria impedido que ele saísse do carro, na hora que eles foram atacados. Ele foi atingido na cabeça e morreu na hora.
Um suspeito como mandado de prisão expedido pela Justiça e irmão de um dos traficantes mais conhecidos da cidade, identificado como Marcos Camilo da Silva, o “Marquinhos Paraíba” morreu no confronto. Marquinhos, segundo a polícia, é irmão de Marcelo Camilo da Silva, o “Marcelinho Paraíba”, apontado como um dos chefes do tráfico no s anos 1990. Ele está preso e contra o irmão que morreu tinha um mandado de prisão em aberto.
O cabo Pinho estava há oito anos na PM. Ele estava noivo e estaria morando na cidade para os preparativos do casamento. Ele era natural de Valença. O corpo do militar será sepultado no Cemitério Riachuelo, no bairro da Esplanada do Cruzeiro, em Valença. Com o suspeito que morreu foram encontradas duas pistolas. Uma nas mãos de Marquinhos e outra na cintura. Também foram apreendidos dois carregadores de pistola, dois coletes balísticos, a moto em que estavam os suspeitos (uma Honda CB 300), um rádio de comunicação e o celular de Paraíba.
Foto: Divulgação/PMERJ.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).