<

Atualizado às 15h06min.


VOLTA REDONDA

A paralisação dos caminhoneiros autônomos, que não estão ligados a transportadoras, iniciada nesta segunda-feira (21), por conta do alto custo do diesel, pode afetar a prestação de serviços públicos em Volta Redonda-RJ. Foi o que a prefeitura anunciou na manhã dessa quarta-feira (23). Os secretários municipais trabalham com a possibilidade de desabastecimento e atraso na realização de serviços de manutenção na cidade.

O secretário de Transporte e Mobilidade Urbana do município, Wellington Silva, cita um exemplo: “Para atender uma reivindicação da população e reforçar a sinalização horizontal na cidade, principalmente, faixa de pedestres, fizemos licitação para compra de tinta. A empresa ganhadora é de Santa Catarina e o material está preso no caminhão parado na Via Dutra”, explicou, afirmando que o fato vai atrasar a realização do serviço.

O secretário expôs também preocupação com o fornecimento de combustíveis e possível comprometimento no transporte público. “As empresas de ônibus trabalham com estoque, mas se a paralisação se prolongar muito pode haver problemas”, acredita Wellington.

O secretário de Infraestrutura, Toninho Orestes, afirma que o serviço de manutenção da cidade continua diário, mas o prolongamento da paralisação dos caminhoneiros pode afetar a rotina na secretaria. “Podem faltar diversos materiais como cimento, asfalto, lâmpadas e reatores, além de combustível, óleo lubrificante e outros componentes que afetariam o funcionamento das máquinas necessárias para o serviço de infraestrutura”, falou.

Para o secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, a paralisação pode impactar a saúde da mesma forma que vai impactar o Brasil, com o desabastecimento. “O fornecimento de medicamentos e insumos em geral pode ser atrasado”, declarou, acrescentando que temos que torcer para que não haja bloqueio nas estradas, que podem prejudicar o transporte de pacientes que fazem tratamento fora de Volta Redonda e até análise de sangue, por exemplo, quando tem que ser feita em outro município.

2 COMENTÁRIOS

  1. Aê Brasil tem que parar mesmo. Coloca ordem no brasil falta agora os rodoviários da região aderirem a greve e pedir seu direito. Um motorista de ônibus ganhava em media 5 salários mínimos. Hoje e em torno de dois olha. Aí rodoviários… exemplo dos caminhoneiros bora parar rodoviário em geral. Bora pedir aumento!!!

  2. Toninho orestes é outro safado é do vila Brasília e nao faz nada no bairro, nao tem uma Pracinha no Bairro pras criancas brincar,colocaro aparelhos de ginástica no bairro ngm ussa,so tem tragédia com esses aparelhos,varias crianças ja se machucaro por causa desses aparelhos,pq nao coloca brinquedo ?en vez desses aparelhos

Comments are closed.