Paulinho do Raio-X
Atualizado às 16h41min.

VOLTA REDONDA
O vereador Paulinho do Raio-X (MDB) fez um pedido a Justiça para reassumir o cargo de vereador, na Câmara de Volta Redonda, no Sul do Rio. Afastado das funções legislativas desde que foi preso em flagrante, no início de março, por conta de uma investigação sobre um suposto pedido de propina para barrar processos de impeachment contra o prefeito Samuca Silva (PSC), o parlamentar entrou com o pedido no Tribunal de Justiça para tentar voltar ao cargo.
O pedido foi feito ao desembargador Cairo Ítalo França Davi, na última terça-feira (31), com a defesa de que o retorno ao cargo não compromete as investigações. O magistrado teria pedido informações a Polícia Civil e ao Ministério Público para basear a decisão.
O escritório de advocacia do Rio de Janeiro, que defende o parlamentar, pede que ele seja autorizado a frequentar o gabinete e participar das sessões na Câmara, afirmando que não teria prejuízo nas medidas de afastamento do prefeito e de dos vereadores Nilton Alves de Farias, o Neném, e Carlihos Sant’Anna, citados na investigação.
No depoimento de Samuca, à Justiça, ele afirmou que Paulinho teria citado Carlinhos e Neném estariam junto com ele no suposto esquema de cobrança de R$ 325 mil para parar os pedidos de investigação contra o prefeito.
– Basta, para tal intento, seja permitido ao paciente ingressar em seu gabinete na Câmara de Vereadores, bem como participar dos debates e deliberações no plenário da referida casa legislativa, cujas ações estarão a vista de todos os membros do parlamento municipal e dos cidadãos, mantendo-se a proibição de qualquer contato do paciente com os citados vereadores – ponderou o advogado no pedido.
A defesa ainda explica que o mandado do vereador termina no fim do ano e que manter o afastamento seria o mesmo que a “cassação do parlamentar sem que lhe dê direito a ampla defesa”. O advogado ainda cita que o pedido do suplente, Marcelo Moreira (MDB) para assumir a vaga, negado pela Justiça, reforçaria a tese de “trama política” e que mantido o afastamento haveria prejuízo para o cliente dele e para os cidadãos.
Foto: Arquivo – SFO.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).