<

Atualizado às 01h08min.


SAÚDE

A obesidade é o segundo maior fator de risco evitável para o câncer, inclusive para o de mama em mulheres pós menopausa. “O excesso de gordura produz hormônios, fatores de crescimento e inflamatórios. Mas é possível evitar esse ciclo obesidade/câncer de mama. É preciso focar no tratamento da obesidade. Para isso, destaco uma boa alimentação, com menos gordura, açúcar e sal, se manter hidratado, dormir bem, e fugir do sedentarismo”, sugere Dra. Gabriela Lima, endocrinologista.

Estima-se que o estilo de vida sedentário esteja associado com 5% das causas de morte por câncer. Se uma mulher desenvolve câncer de mama, o fato de realizar atividade física reduz a chance de mortalidade. Praticar exercícios por 30 a 40 minutos por dia já é protetor. Nunca é tarde para mudar seu estilo de vida e melhorar a sua saúde, um endocrinologista pode te ajudar.

Fique Sabendo

Drª Gabriela Lima, nutróloga, explica os risco do excesso de peso e o câncer. (DIVULGAÇÃO)

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso e mais de 700 milhões, obesos.

Somente no Brasil os números apontam que metade da população (50%) está acima do peso. O crescimento de pessoas com sobrepeso tem sido gradual com o passar das décadas. O número maior está entre as mulheres, sendo que 23% (18 milhões) eram obesas em 2014 contra 17% (11,9 milhões) de homens. Seja uma mulher consciente na luta contra o câncer de mama.