Atualizado às 19h23min.

RIO DE JANEIRO
Morreu, na segunda-feira (13), aos 72 anos, o cantor e compositor baiano Moraes Moreira. Ele sofreu um infarto fulminante e foi encontrado pela empregada, às 6h da manhã, caído em casa, no bairro da Gávea onde ele morava no Rio de Janeiro. Um dos maiores artistas da música popular brasileira, Moraes ficou célebre por sucessos como “Lá vem o Brasil descendo a ladeira”, “Pombo correio”, “Sintonia” e, com o grupo Novos Baianos, “Preta pretinha”, “Mistério do Planeta” e “Acabou chororô” (essas, compostas em parceria com o poeta e integrante do grupo Luiz Galvão).
Antonio Carlos Moreira Pires nasceu em 1947, em Ituaçu (BA), e passou sua adolescência tocando sanfona em festas de São João, enquanto intercalava sua vida com o estudo de ciências, em Calulé.
Em 1966, mudou-se para Salvador e foi morar em uma pensão, onde conheceu Paulinho Boca de Cantor e Luiz Galvão. Três anos mais tarde, eles se juntariam à cantora Baby Consuelo e ao guitarrista Pepeu Gomes, formando os Novos Baianos. O grupo fez sua estreia em 1969 com o show “Desembarque dos bichos depois do dilúvio”. Também em Salvador, Moraes se aproximou de Tom Zé, figura imprescindível para aproximá-lo do rock, ritmo que influenciaria diretamente sua trajetória, especialmente no carnaval.
No início dos anos 1970, os Novos Baianos se transferiram para o Rio de Janeiro, e foram viver juntos, em comunidade: inicialmente em um apartamento em Botafogo (onde foram visitados pelo cantor João Gilberto) e, mais tarde, em um sítio em Vargem Grande. Em 1972, o grupo gravou no Rio o álbum “Acabou chorare”, um clássico pós-tropicalista da mistura de música brasileira e rock, eleito, em 2007, pela revista “Rolling Stone Brasil”, um dos 100 maiores discos da música brasileira.
Em sua carreira solo, lançou mais de 20 álbuns e se consagrou nos carnavais do trio elétrico de Dodô e Osmar. Para a folia, compôs hinos como “Pombo correio”, “Vassourinha elétrica” e “Bloco do prazer”.Com informações do jornal Extra.
Foto: Divulgação.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).