<

Atualizado às 16h53min.


MUNDO

O encerramento de projetos ligados ao ator Kevin Spacey custou ao serviço de streaming de vídeos, Netflix cerca de US$ 39 milhões, o que equivale a R$ 134 milhões. A baixa nos cofres da empresa foi no fim do ano passado. A informação foi publicada no site do jornal Folha de São Paulo, nesta terça-feira (23).

O prejuízo é relacionado ao que a empresa chamou de “conteúdo não divulgado que nós decidimos não seguir em frente”. Spacey é um dos grandes nomes do cinema mundial e foi acusado de conduta sexual imprópria por um ator mexicano que afirmou em novembro do ano passado, que ele não seria a única vítima.

A empresa interrompeu outros projetos que tinha com o ator. Incluíndo um longa-metragem. Esse é o primeiro sinal público de prejuízo financeiro de um produtor depois de acusações de assédio, na indústria audiovisual no mundo. Segundo a matéria, mais de 30 homens teriam acusado o ator de assédio.

A Netflix suspendeu em novembro a produção da sexta e última temporada da série, “House of Cards”, em que Spacey interpretava o presidente americano.

A Netflix relatou na segunda-feira (22) ter registrado 8,3 milhões de novos clientes no trimestre final do ano passado. Isso é 2 milhões a mais do que analistas previam, fazendo suas ações subirem mais de 7% após o fechamento do mercado, uma máxima recorde.

O diretor financeiro da Netflix, David Wells, disse que embora baixas aconteçam regularmente, “nós simplesmente não tínhamos tido uma desta magnitude e relacionada à redefinição social em torno de assédio sexual”.