Reunião de transição de governo acontecerá na segunda (28)
Foto: Evandro Freitas.
<
VOLTA REDONDA

Atualizado às 13h52min.
Depois da negativa, por conta da Lei orgânica, do vereador Pastor Washington (Republicanos) para assumir coordenadoria de Neto, o prefeito decidiu criar uma nova secretaria na prefeitura. A manobra garante que o parlamentar assuma sem risco de perder o mandato. O anúncio do projeto para criação da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência foi feito em uma entrevista a um programa de rádio na quinta-feira (20). Na próxima semana Antonio Francisco Neto (DEM) confirmou que vai mandar a mensagem para criação da secretaria.
O parlamentar falou que deve assumir a pasta, em com a equipe do SUL FLUMINENSE ONLINE e confirmou que só assumiria se a coordenadoria se transformasse em secretaria. Fora isso, o regime da Casa proíbe que o vereador se licencie do cargo. “O pastor sempre carregou esta bandeira. O projeto de acessibilidade será o primeiro que a nova pasta vai tratar”, comentou o prefeito. No fundo mesmo é mais uma jogada política de um prefeito “cascudo” que quer aumentar o apoio dele na câmara que até hoje não tem ainda um líder de governo escolhido. Por que será? É gente não querendo se expor ou o filme do prefeito está queimado por algum motivo? O fato é que ninguém se habilitou ainda para a vaga.
O prefeito garantiu que não serão criados “novos cargos”. Por outro lado, todo mundo sabe que quando se cria uma secretaria é preciso pensar em verbas próprias, autonomia e pelo menos um subsecretário, local e no mínimo uma secretária para cuidar da agenda. E os projetos, quem vai montar e tocar? Coisa que secretário, normalmente, não mexe por conta do tempo de formar lobby para passar os pedidos e verbas na Câmara. Nos bastidores só quem conhece sabe como funciona e o povo nem se liga nisso. Neto diz que será usada a estrutura da coordenadoria como sede para a nova secretaria. Assim como o reajuste na taxa de iluminação, o projeto da nova pasta deve passar, sem muita folga, na Câmara assim que for colocado em votação.

Dança das Cadeiras 

Guilherme vai sair da Câmara
Sipe (à direita) vai deixar o Legislativo menos de duas semanas de tomar posse. Foto: Redes Sociais.
Guilherme Sipe, suplente de Hálison Vitorino (PP), nem esquentou a cadeira e vai ter que sair do sonhado cargo de vereador. O titular (Hálison) tinha assumido a direção administrativa do Hospital São João Batista, mas vai voltar para câmara. Sipe não deve ficar desamparado e vai para algum posto no governo Neto ainda não definido. Estranho, porque Neto não ia com a cara de ninguém que atuou no governo Samuca Silva (PSC), mas Sipe, que foi braço direito do vice-prefeito, Maicon Abrantes, agora é “persona querida” do atual prefeito. Vai entender.
Uma outra mensagem será enviada para Câmara para regulamentar os cargos de diretor-geral do HSJB, que será Sebastião Faria (vice-prefeito) e diretor-administrativo, ainda sem nome definido. O hospital está sob intervenção judicial desde o fim do ano passado.
A única coisa que parece certa é que Ednílson Vampirinho (Republicanos) ocupar a cadeira no Legislativo, no lugar de Pastor Washington (Republicanos), cotado para nova secretaria. Pastor é pai de um filho com deficiência visual e sempre debateu pautas ligadas as necessidades especiais. Na última eleição, o partido do religioso lançou o bolsonarista Hermilton para cadeira de prefeito que não fez nem “cócegas” nos quase 90 mil votos de Neto. Vamos esperar o desenrolar das idas e vindas nas cadeiras da Câmara de Volta Redonda, pois pode ser que tenha mais “troca troca” vindo por aí.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).