<

EXCLUSIVO


Atualizado às 23h.


VOLTA REDONDA

Uma mulher, que preferiu não se identificar, registrou que foi furtada, na tarde de quarta-feira (08), dentro de uma loja do 2º piso, do Sider Shopping, na Vila Santa Cecília, em Volta Redonda/RJ. Ela acusa uma outra cliente que estava na loja, na hora que deu falta do celular, de ter levado o aparelho.

Na versão da vítima, ela teria esquecido o celular em cima do balcão e não encontrou mais. Tivemos acesso a um curto espaço de tempo das imagens da câmera de segurança de dentro da loja. No trecho é possível ver apenas que a vítima, uma amiga e, supostamente, a suspeita e filha estavam dentro da loja no mesmo momento. Não é possível ver com clareza que o aparelho foi levado. O vídeo termina antes da vítima e da acusada saírem da loja.

A vítima relata ao SUL FLUMINENSE ONLINE que se deu conta de que não estava mais com o celular, ao deixar a loja. O aparelho custa em média R$ 1,5 mil. Ela diz que a mulher que estava ao lado teria levado o aparelho. Ela conta que chegou a seguir a mulher que supostamente teria levado o aparelho. No térreo do shopping falou com um segurança, que segunda a vítima, “não teria dado a devida atenção ao caso”. “Ele disse que não poderia fazer nada”, contou.

A vítima disse que o segurança chegou a perguntar para as duas o que aconteceu. Segundo a vítima, a mulher suspeita começou a discutir com ele e o segurança liberou mãe e filha, sem chamar a polícia.

– O segurança não fez o que deveria. Poderia ter chamado a polícia para uma revista nelas. Ele foi omisso. Poderia ter chamado o chefe da segurança, mandado a gente para delegacia ou esperar uma policial feminina para uma revista. Eu acabei sem meu celular”, afirmou a vítima, revoltada com a atitude.

A própria vítima chamou a polícia. A viatura foi até o prédio vizinho do supermercado Extra, para onde as suspeitas teriam ido. Segundo a vítima, elas não foram mais vistas. A vítima foi ao SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) do shopping e fez uma reclamação por escrito. Se dirigiu à delegacia (90ª DP), onde registrou o furto.

Testemunhas contaram que a mulher suspeita, ao ser questionada pelos seguranças, teria “simulado” tirar a roupa na frente de todos. Falou alto e se sentiu acusada injustamente. Em seguida ela foi liberada.

O Sider Shopping atendeu o nosso pedido de resposta. Avaliou imagens e conversou com os seguranças envolvidos no fato, na tarde de quarta-feira. Em nota, o shopping defendeu que os seguranças “são treinados para agir de acordo com a lei”. O Sider esclarece que os seguranças, “assim como em qualquer serviço privado de segurança”, não têm “poder” para revistar ou prender uma pessoa suspeita. A nota diz ainda que a vítima não teria dito, com certeza, que era a mulher seria realmente quem teria furtado o celular. O que segundo o shopping, não aconteceu.

– A obrigação de segurança tem seus limites impostos pela boa-fé objetiva em conformidade com a razoabilidade e vale ressaltar que, para a aplicação de qualquer ação, é necessário que a vítima assuma as possíveis causas que uma abordagem indevida pode causar. Fato este, que também não aconteceu – afirmou a nota. (Foto: Reprodução Google)