Motoboys fazem protesto pela saída do comandante da Guarda de Volta Redonda
Foto: Evandro Freitas.
<
VOLTA REDONDA

Atualizado às 23h13min.
Motociclistas de toda cidade foram protestar na frente do quartel da Guarda Municipal de Volta Redonda, na tarde de sexta-feira (28), pela saída do comandante João Batista dos Reis. Os manifestantes chegaram a fechar as vias e houve congestionamento. Com cartazes de “Fora Batista” cerca de 80 motoboys e outros donos de motocicleta foram orientados pela Polícia Militar. Motoristas apoiaram o protesto e gritavam palavras contra o comandante.
Nossa equipe acompanhou o protesto que causou reflexos no trânsito. A PM organizou o movimento e garantiu a passagem dos carros. Nenhum guarda municipal foi enviado para o local para ajudar no trânsito. O protesto foi organizado pelas redes sociais. Os manifestantes gritavam palavras de ordem e chamava Batista de “Hitler”, fazendo referência ao ditador genocida alemão e líder do nazismo que matou centenas de milhares de pessoas na Europa na 2ª Guerra Mundial.
O movimento foi organizado depois que o comandante recolheu dezenas de motos na porta da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) e em outros pontos da cidade. Em bairros como Santa Cruz os moradores expulsaram a guarda, segundos fontes revelaram ao SUL FLUMINENSE ONLINE, e a ação foi interrompida. Todos fizeram questão de deixar claro que a manifestação não é contra a guarda, mas sim contra as atitudes do comandante.
– Todo mundo aqui foi atingido por esse comandante. Esse jeito de coagir ninguém aceita. Muitos perderam a moto parada na CSN. Covardia o que ele tem feito na cidade. Temos esperança que o prefeito que nós colocamos lá 70% é culpa do prefeito e 30% do Batista. Por causa de uma pessoa o Neto está se queimando – frisou um motoboy que preferiu não se identificar.
Dois donos de motos que tiveram o veículo apreendido na operação que levou as motos paradas na porta da CSN estavam indignados em frente a guarda. Eles estavam tentando retirar as motos e foram avisados que não seriam atendidos por causa da manifestação.
A guarda cancelou todo atendimento durante a tarde. Clarissa de Souza, é autônoma e teve problemas para retirar a moto dela que foi apreendida. Ela reclama que pagou as multas e não foi atendida para retirar o veículo. “Eles não querem liberar a moto alegando que não podem liberar devido a manifestação”, reclamou.
Outro dono de veículo, Wellington Leandro, que é empresário também teve problema depois de pagar a documentação não conseguiu retirar a moto dele. “Nossa moto está presa e eles não querem liberar meu bem. Corro risco de ter prejuízo e em uma atitude que não tem lei para isso. Reter minha moto aqui baseado em que”, questionou.
Tentamos falar com o comandante, mas um servidor disse que ele não estava. Ele ainda orientou que procurasse a comunicação da prefeitura. Porém, os manifestantes deixaram claro que o “protesto é contra o comandante, não contra a Guarda”. Mesmo assim, Batista não foi encontrado para falar sobre o assunto.
Na segunda-feira (1º), os manifestantes disseram que o protesto deve acontecer em frente a prefeitura, no bairro Aterrado. Mesmo local que moradores expulsos de uma ocupação estão acampados desde a tarde de quinta-feira (29), quando foram retiradas de um acampamento. Vamos tentar no plantão no fim de semana ouvir a prefeitura sobre o assunto.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

1 COMENTÁRIO

  1. O Neto está cada vez mais se queimando com a população.
    Se deu bem diante do STF que é atualmente a pior instituição em crédito, haja vista a delação do mega ladrão Cabral com a proteção corporativa do Tofolli.
    Essa comandante da guarda municipal tem histórico difamadores no passado com a CSN.
    Vai saber porquê está sendo protegido pelo Neto.

Comments are closed.