<
Atualizado às 20h12min.

VOLTA REDONDA
Os metalúrgicos da CSN rejeitaram nesta quarta (20) a proposta, de um abono equivalente a 152,50% do salário de cada empregado que seria pago em uma parcela, no dia 09 de abril, aniversário da empresa. Na votação secreta, que aconteceu durante todo o dia e apurada após as 18 horas, na Praça Juarez Antunes, na Vila Santa Cecília, 3.550 metalúrgicos definiram o “não”. Outros 3.014 votaram “sim”, 14 votaram em branco e sete anularam o voto.
O Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense vai informar o resultado á Companhia nesta quinta (21) e espera que a empresa reabra nas negociações, já que a proposta recusada havia sido denominada como final pela siderúrgica.
– Recusamos quatro ofertas na bancada, antes de optar levar esta à votação, mas desejamos que a empresa tenha o bom senso de apresentar uma nova proposta, reabrindo a negociação – projetou Eclair Rosato, diretor de Organização de Local de Trabalho do sindicato, que está á frente da negociação durante o afastamento do presidente, Silvio Campos, para cuidar de problemas de saúde.
Pouco depois da votação, funcionários da CSN que estiveram presente na apuração comentavam o resultado, concedendo ao valor do lucro produzido pela Companhia este ano (mais de R$ 5,2 bilhões) a rejeição da proposta. Eles realizavam cálculos e diziam que, caso a empresa decidisse enviar três por cento desse valor para os trabalhadores, o abono seria bem maior do que o apresentado pela empresa. (Foto: Reprodução).