Atualizado às 20h23min.

BARRA DO PIRAÍ 
O bispo de Diocese Barra do Piraí/Volta Redonda, dom Luiz Henrique da Silva Brito, se reuniu na segunda-feira (7) com o prefeito de Barra do Piraí, Mário Esteves (PRB) para tratar do processo de restauração da Catedral Sant’Ana. A reunião contou com a presença dos membros da da Comissão de Patrimônio Histórico e Elementos Artísticos da diocese e do vigário paroquial de Santana, padre Paulo Almeida.
O motivo foi o processo de licitação para obra na igreja, que tem mais de 155 anos. Em 2018, uma emenda parlamentar liberou R$ 300 para a reforma. Em contrapartida o município tem que disponibilizar R$ 6 mil. O total da obra é de R$ 470 mil e os R$ 164 mil será repassado pela diocese que arrecadou o dinheiro de doações.
Segundo a assessoria de comunicação da diocese, há mais de um ano reuniões acontecem para tentar viabilizar a reforma. Durante esse tempo o necessário para ter o recurso seria, de acordo com a igreja, uma licitação feita pelo município.
Estaria faltando somente a finalização do processo de edital e realização da licitação para que a empresa vencedora dê início as obras. A previsão é de três meses de restauração.
– Em 2016 fizemos uma campanha de doação que nos permitiu realizar a obra emergencial para conter o vazamento no telhado. Com o valor que arrecadamos por meio de doações realizamos o reparo e destinamos o restante a um fundo para complementar o valor da obra. Esperamos que tudo se resolva ainda este ano, antes do período das chuvas, para que possamos entregar esse restauro a toda comunidade do município de Barra do Piraí – clamou Edna Feitosa, da Comissão de Patrimônio Histórico da diocese.
Preparação para o centenário da diocese 
De acordo com dom Luiz Henrique, uma grande programação está sendo preparada para o centenário da diocese, em 04 de dezembro de 2022. A catedral de Santana, por sua vez, representa o cenário principal dessas comemorações.
– Recebi o título de cidadão barrense no último sábado e, portanto, já me considero filho desta terra, uma vez que nossa diocese foi criada neste município e a Catedral de Santana é a Igreja Mãe – ressaltou o bispo, que ainda lembrou o valor histórico-cultural da catedral. “Não é um patrimônio apenas da Igreja e do município de Barra do Piraí, mas guarda a história de toda uma região”, destacou.

A Catedral

A Igreja de Sant’Ana é o ícone de beleza e imponência.  Símbolo importante da diocese e do município de Barra do Piraí, teve sua construção concluída em 1881 pelo 3º Barão do Rio Bonito, José Pereira do Faro que foi líder do movimento que culminou, anos mais tarde, com a emancipação da freguesia de Barra do Piraí. A pedra fundamental foi lançada na presença do Imperador D. Pedro II do Brasil, quando visitou a freguesia da atual Barra do Piraí, a convite do próprio Barão, a fim que fosse inaugurada a capela provisória da mesma igreja, em 7 de agosto de 1864.
O Barão realizou seguidas viagens ao Rio de Janeiro, selecionando arquitetos, pintores e pedreiros estrangeiros para abrigá-los em suas propriedades em Barra do Piraí, sob a condição de trabalharem na construção da, então, igreja de Sant’Ana.
Com feições neoclássicas, construída no século XIX, a Catedral de Senhora Sant’Ana é um belo monumento histórico ligado à personalidade do Terceiro Barão do Rio Bonito, que custeou sua construção sendo homenageado renomado artista do século XIX, Victor Meireles, com um quadro de corpo inteiro que hoje decora a sacristia da igreja.
Acima da porta principal da catedral, lê-se uma inscrição em latim: “1881 – D. Petrus II, Brasiliae Imperator Hanc Eclesiant Sancte Annae Nomine Appelari Voluit”, que traduzida, quer dizer: “1881 – D. Pedro II, Imperador do Brasil, quer que esta igreja seja chamada Sant’Anna”.
Fotos: Divulgação/Diocese B. do Piraí/Volta Redonda.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui