Inelegível e declarado “pré-candidato”, Neto aparece duas vezes em lista de impedidos do TCE
Foto: Arquivo - SFO.
VOLTA REDONDA

Atualizado às 18h37min.
A Justiça Eleitoral negou o pedido de candidatura do ex-prefeito Antônio Francisco Neto (DEM) para concorrer ao cargo de prefeito nas eleições municipais desse ano. A decisão do juiz titular da 131ª Zona Eleitoral, Marcelo Dias da Silva, julgo “inapta” a chapa composta por Neto e pelo vice, Sebastião Faria.
A decisão veio na tarde de sábado (24), mas ainda cabe recurso. Quatro ações conta a candidatura de Neto foram apresentadas ao MPE. Uma delas do próprio Minsitério Público Eleitoral que afirma que o candidato encontra-se impedido de concorrer por força da Lei Complementar 64/1990, já que teve suas contas de governo, do exercício de 2001, quando era prefeito, rejeitadas pela Câmara Municipal, que aderiu ao parecer prévio do TCE-RJ.
Por outro lado, Neto se defendeu nas redes sociais e continua dizer que é candidato.
“A verdade. A nossa candidatura segue firme e temos certeza que será validada em breve. A decisão em primeira instância que indeferiu nosso pedido não impede, sob qualquer ótica legal, de prosseguirmos com nosso projeto por uma Volta Redonda melhor. E quem está à frente deste projeto é e vai continuar sendo o nosso eterno prefeito Antônio Francisco Neto. Podem ter certeza: vocês nos verão nas ruas e nas urnas. Respeitamos, mas lamentamos a decisão monocrática tomada pelo juiz eleitoral. Agora, vamos ao TRE-RJ e, se preciso for, vamos ao TSE ou ao STF. Nas instâncias superiores, é ponto pacífico que Neto pode ser candidato. Juntos, nós já vencemos a injustiça uma vez. Quem não se lembra de 2014, quando tentaram uma manobra para cassar Neto e chegaram a marcar a posse do seu adversário. No fim, prevaleceu a nossa força, prevaleceu a soberana vontade popular. Não se deixem cair em armadilhas e em notícias falsas de jornais que temem nosso retorno. Esses mesmos jornais representam abertamente nossos adversários e hoje são financiados com dinheiro público. Isso vai acabar, assim como vai acabar o contrato com organizações sociais corruptas, o descaso com os bairros, o desmonte da saúde. Votem sem medo, pois no fim o dever da justiça eleitoral é resguardar a vontade do povo”.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).