Justiça afirma que empresa de Gothardo fez repasses “ilegais” para Helena Witzel
Foto: Reprodução. 
VOLTA REDONDA

Atualizado às 20h32min.
A Justiça afirma que a empresa do ex-prefeito de Volta Redonda, Gothardo Lopes Netto, fez repasses ilegais para o escritório de direita da primeira-dama do estado, Helena Witzel. Segundo a investigação, os repasses se estenderam ainda a empresas ligadas a Mário Peixoto. Esse suposto esquema apontado como “ilegal” pela Justiça foi o que levou o empresário a ser preso e o afastamento do governador, na manhã de sexta-feira (28), na casa dele, em Volta Redonda.
Segundo a denúncia do MPF, o escritório de Helena foi contratado pelas empresas como um “artifício para permitir a transferência indireta de valores”. A denúncia aponta ainda que o escritório da primeira-dama “foi utilizado para escamotear o pagamento de vantagens indevidas ao governador, por meio de contratos firmados com pelo menos quatro entidades da saúde ligadas a membros da organização criminosa (Gothardo Lopes Netto, Mário Peixoto e Pedro Fernandes). Isso teria resultado o recebimento de R$ 554.236,50, entre agosto de 2019 e maio de 2020”. Os procuradores afirmam ainda que o escritório foi “contratado para operacionalizar a prática de corrupção e posterior lavagem de capitais. Além disso, com a participação de Lucas Tristão e Gothardo Lopes”.
O ex-prefeito no meio da manhã e levado para delegacia da Polícia Federal, no bairro Aterrado. Em seguida s sentiu mal e preciso ser levado às pressas para o hospital em que ele é dono, o Hinja, no bairro Jardim Amália. Com uma suposta alteração de pressão arterial, ele foi internado no CTI do hospital.
Gothardo foi vereador, deputado, prefeito e depois deputado estadual novamente. O último mandato foi como deputado, de 2013 a 2016, na Assembleia Legislativo do Rio de Janeiro (Alerj). Médico, Gothardo é um dos ginecologistas e obstetras mais atuantes da cidade. Além disso, é professor de Obstetrícia da Fundação Oswaldo Aranha (UniFoa). Gothardo, segundo a Justiça, seria um dos principais conselhos políticos de Witzel.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).