Atualizado às 22h03min.

VOLTA REDONDA
O juiz de plantão Marcelo Costa Pereira, da Comarca de Volta Redonda, negou na segunda-feira (30) o pedido impetrado por mandado de segurança pelo suplente do vereador Paulinho do Raio-X (MDB). O documento pedia para que Marcelo Moreira (MDB) assumisse a cadeira depois que o vereador foi afastado pela Justiça, desde que foi preso e concedido o habeas corpus por conta de uma investigação em que ele é acusado de corrupção passiva, contra o prefeito da cidade, Samuca Silva (PSC).
A Câmara foi intimada a responder o porquê não teria liberado para o suplente assumir e o presidente, Nilton Alves de Faria, o Neném (PSB) alegou à Justiça os casos em que o Regimento Interno da Casa previa a convocação do suplente. O presidente afirmou que em nenhuma hipótese prevê a convocação e quem em nenhum momento o parlamentar foi cassado. Teve apenas o afastamento das funções decretado e os benefícios e vantagens mantidos pelo desembargador.
– A hipótese vertente, contudo, abarca situação diversa, qual seja o afastamento, por ora em caráter provisório, do vereador Paulo César Lima da Silva do exercício da função pública de Vereador desta Municipalidade, sem perda, ressalte-se, dos seus direitos e vantagens vinculados  àquele cargo eletivo, de forma que eventual deferimento da medida liminar almejada importaria em inequívoco prejuízo e sobrecarga nas finanças municipais, porquanto estaria a Câmara Municipal adstrita a suportar duplicidade de remunerações para o mesmo cargo – explicou o juiz em sua decisão.
Marcelo Moreira disse que avaliará a decisão com seu advogado e ainda não se pronunciou sobre a medida.
Foto: Arquivo – SFO.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).