VOLTA REDONDA

Atualizado às 21h24min.
O governador do Rio, Cláudio Castro, entregou na tarde de quarta-feira (2) a 39ª base da Operação Segurança Presente. O lançamento foi em frente da sede do programa, localizada na torre que abrigava o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), na Praça Brasil, Vila Santa Cecília, Centro da cidade. Várias autoridades municipais participaram da solenidade. Prefeitos de Barra Mansa, Rodrigo Drable, de Resende, Diogo Balieiro, de Volta Redonda, Antonio Francisco Neto, além do vereador presidente da Câmara Sidney Teixeira, o Dinho, e deputados estaduais e municipais.
O governador foi o último a falar. Neto, antes dele, elogiou o trabalho e disse que Castro é o melhor governador que o estado já teve. “O governador é sem dúvida o que mais fez por nossa cidade. Volta Redonda estava no fundo do poço e o governador Cláudio Castro nos ajudou a resgatar. Você, governador, tem sido o maior parceiro da história de Volta Redonda. Gratidão não prescreve. E eu, em nome da população da cidade, te agradeço. Somos muito gratos por tudo o que tem feito”, declarou  Neto assim que entregou uma placa de homenagem ao governador.
Do outro lado, Cláudio Castro lembrou e deu detalhes do primeiro encontro que teve com Neto. “O Neto estava triste quando nos encontramos pela primeira vez. Ele estava com a fisionomia abatida e triste, por conta do que fizeram com a cidade que ele ama tanto. Prefeito eleito por cinco vezes, numa cidade como Volta Redonda não é para qualquer um. Mesmo assim ele não perdeu a capacidade de sentir a dor do outro. É saber que a dor do outro que importa no fim das contas. Naquele dia fiz um pacto de que ia ajudar Volta Redonda”, lembrou o governador.
Castro ainda destacou os números do governo que ele assumiu depois de Witzel. Segundo ele, Volta Redonda é um importante município do estado, mas que se encontrava em uma situação de total abandono, assim como o Rio de Janeiro. “Quando assumi o governo, tínhamos um déficit de R$ 6,2 bilhões, sem conseguir pagar os salários dos servidores pelos próximos dois, três meses e nem 13º salário. Uma situação calamitosa. Hoje o estado do Rio de Janeiro é outro e mais saudável. Apenas no ano de 2021 foram 73 mil novas empresas abertas e o 3º estado do país que mais gerou empregos. Os menores índices de criminalidade dos últimos 10 anos. O policial voltou a ser respeitado. O Rio de Janeiro voltou a ser respeitado. É um estado novo, tanto para se morar quanto para empreender. Hoje, somos o estado da união, sem ego. E tudo isso é fruto de muito trabalho e vontade, graças ao apoio dos prefeitos, secretários e vereadores”, enfatizou Castro.
O presidente da Câmara, Sidney Teixeira, o Dinho, entregou um título de Cidadão Voltaredondense. “Agradecer ao governador por tudo que tem feito pela nossa cidade. Esse projeto é fundamental para trazer ainda mais segurança para nossa população. Eu que sou policial da reserva remunerada, sei o quanto é preciso que o cidadão se sinta tranquilo par ir e vir. Por isso só temos a agradecer o governador por mais essa conquista com o segurança presente”, afirma Sidney Dinho.

Como vai funcionar

O Segurança Presente terá 17 policiais, seis motos, dois carros e uma van. De acordo com o Governo do Estado, o programa reforça um modelo de policiamento voltado principalmente para regiões turísticas e comerciais, justificando a escolha pelos pontos que serão atendidos. Os agentes são voluntários para o trabalho em horário de folga e recebem extra pelo serviço.
O coronel Marcelo Malheiros, comandante do 5° CPA (Comando de Policiamento de Área da Polícia Militar) destacou o avanço na área da segurança pública. “O programa Segurança Presente é mais um avanço da Polícia Militar, junto com a Secretaria de Governo do estado. O governo estadual está trazendo vários avanços para a região Sul Fluminense e esse é mais um. O Segurança Presente vai contribuir para que mantenhamos um patamar de tranquilidade e níveis aceitáveis de criminalidade. Hoje eu tenho certeza que esse projeto será um reforço para a cidade”, analisou o comandante regional.

Tecnologia como arma para segurança

A sede terá 102 câmeras de segurança: 80 na Vila Santa Cecília e 22 na Amaral Peixoto. Desta forma, as equipes que ficarão nas ruas estarão em permanente contato com a central de monitoramento.
Além disso, Volta Redonda terá mais de mil câmeras monitorando, 24 horas, o que se passa nos bairros. Cerca de 400 equipamentos já foram instalados. Outras 100 unidades já estão funcionando ligadas ao CIOSP (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública), mas as 100 primeiras terão o diferencial de fornecer imagens também ao programa estadual Segurança Presente.
– Sabemos que o Segurança Presente é um projeto de qualidade, que tem trazido muito resultado em cidades nas quais ele está atuando, e em Volta Redonda não será diferente, até porque vão ocupar dois centros comerciais importantes. O município disponibilizou 100 câmeras, das quais auxiliarão na tomada de controle da região. Integrada com as outras forças, Batalhão da Polícia Militar, Guarda Municipal, Polícia Civil, sem dúvidas será um sucesso – projetou o secretário municipal de Ordem Pública (Semop), tenente-coronel Luiz Henrique Barbosa.
O município também está em processo adiantado para implantação do Proeis (Programa Estadual de Integração na Segurança, que são agentes da Polícia Militar que trabalharão no reforço do policiamento e nas ações inerentes à ordem pública, beneficiando outros dois importantes centros comerciais: bairros Aterrado e Retiro.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:  
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por opiniões de leitores na matéria).