<
Atualizado às 16h32min.

RODRIGO MATIAS
O fanatismo é um estado psicológico de fervor excessivo ou elo religioso obsessivo que pode levar a extremos de intolerância. No entanto, acredito que o fanatismo, no Brasil, foi além da religião e invadiu a política.
Em 2017, o número de filiações ao PT cresceu 4 vezes em comparação com a média mensal de adesões. Somou um total de 4.217 novos pedidos. O “boom” ocorreu após o ex-presidente Lula ter sido condenado por Sergio Moro no caso triplex.
Entre os dias 10 e 16 de julho de 2017 foram 3.131 novos pedidos de filiação. O ex-presidente Lula foi condenado no dia 12. Na última semana, do dia 17 ao 21 de julho, foram mais 1.086 solicitações. Em 15 dias, o PT ultrapassou em mais de 4 vezes a média mensal de adesões, com 4.217 novos filiados.
Acha loucura?
Entre os filiados do PSL, em 2019, 14% (39 mil) estiveram em outros partidos antes — a maioria integra uma legenda pela primeira vez. O “boom” ocorreu depois que Jair Messias Bolsonaro entrou na sigla.
Ainda esse ano o PSL diz ter incorporado 188 mil associados em sua campanha de filiação iniciada em 17 de agosto. Com isso, ultrapassaria 459 mil quadros. Um crescimento de 70% em relação aos 271 mil que constam nos dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de agosto. A sigla estava em franco crescimento, até o dia 12 de novembro desse ano, quando Bolsonaro anunciou sua saída do partido. Esse é o oitavo partido que ele deixa durante a carreira política. Mas, entenda, mesmo com a crise o partido continuava tendo novos filiados, enquanto o presidente estava na sigla.
A crise do PSL tem vários momentos que vem se alastrando na esteira das denúncias sobre o esquema de candidaturas laranjas nas eleições de 2018, ganhou destaque. Foi quando se revelou um áudio do deputado Delegado Waldir (GO), chamando Jair Bolsonaro de “vagabundo”.
O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi denunciado sob acusação de organizar um esquema de candidaturas laranjas no PSL de MG nas eleições de 2018. Um depoimento e uma planilha apreendida pela PF sugerem que o dinheiro do esquema pode ter abastecido, por meio de caixa dois, a campanha de Bolsonaro.
Em 11 de outubro, Bolsonaro e mais 21 deputados encaminharam um pedido à direção do PSL para que forneça a prestação de contas do partido. A intenção, dizem, é realizar uma auditoria externa.
No dia 15, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Bivar. Ele é suspeito de organizar esquema de candidaturas laranjas em Pernambuco nas eleições de 2018. Entre outras coisas.
Percebe? O problema não o partido está envolvido em corrupção, tanto no caso do PT quanto do PSL, a questão é: “onde meu ídolo está? É lá que eu quero ficar”.
O escritor israelense Amós Oz, no ensaio “Como Curar um Fanático”, diz, de forma irônica, que para curar um fanático é preciso:
1) Imaginação: O fanático carece de imaginação. Segundo Oz, muitos fanáticos são de fato fanáticos pois não possuem imaginação suficiente para conceber o cenário proferido em seu fanatismo.
2) Senso de humor: “O senso de humor é uma grande cura. Nunca vi em minha vida um fanático com senso de humor, nem nunca vi uma pessoa com senso de humor tornar-se um fanático, a menos que ele ou ela o tenha perdido”, escreve Oz.
Eu, de fato, acredito que o político é a melhor opção até o mesmo ser pego em um esquema de corrupção, ou tal atividade física é o caminho para vida saudável até que a moda passa. Vejo que é mais efetivo remédio contra o fanatismo, que qualquer espécie.
O que você acha? Deixe um comentário e até a próxima semana.
Foto: Ilustrativa.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

2 COMENTÁRIOS

  1. Precisa estudar mais, seu moço! Não se trata de “ficar com o ídolo”, mas LUTA DE CLASSE que a Filosofia tanto discute e repercute. O cenário politico brasileiro traz a bílis do fascismo, ou seja, intolerância e ódio arraigados e a liberdade (filosoficamente seu campo) está preste a ser ceifada do mundo civilizatório, por essa matilha de milicianos e adoradores de Heich só destroem sonhos, realidades e vidas como se pode constatar nos “assaltos” desses grupos na Amazônia, Rio, Paraisópolis, VR, BM, BP, Resende e até, Itatiaia. Ah, o Judiciário, principalmente, por conta dos adoradores do ‘excludente de ilicitudes”, só apontam a morte para os PPF (pobre, preto e favelado) . Escolha um lado e se posicione, mas não trate como iguais, coisas inconciliáveis como se fosse o “imparcial” sofista.

  2. Saudações,

    Bom, você nem deixou seu nome, “Kazuza Funil” com toda certeza não está na sua identidade. Mas é assim mesmo, à coragem da militância é só no campo digital, isso no caso de extremistas. Vamos em frente, o problema começa quando pessoas como você acham que existem “lados” a serem defendidos, enquanto você levanta uma bandeira vermelha e outro uma bandeira azul, o congresso aprovo o aumento do fundo partidário tirando verbas de setores como educação e saúde. Ou seja, os “inimigos” são excelentes amigos quando se trata de interesse particular, partidos de “esquerda” e “direita” aprovaram o aumento do fundo sabendo de onde seriam retirados recursos. Enquanto você se esconde em um “funil” defendo um lado contra outro, no congresso eles estão juntos para tirar os seus direitos.

    As: Rodrigo Matias

Comments are closed.