Policial negocia com militares durante sequestro
Policial negocia com militares durante sequestro em que mantinha ex-namorada refém.
<
Foto: Redes Sociais / Reprodução.
VALENÇA

Atualizado às 20h55min.
O que será que aconteceu de fato instantes antes do cabo da PM atirar contra a namorada? Mayara Pereira de Oliveira, de 31 anos, morreu depois de ser atingida na cabeça por um cabo da PM com quem ela mantinha um relacionamento. Uma fonte deu detalhes, com EXCLUSIVIDADE, sobre os minutos que antecederam os disparos que mataram a jovem. A área foi isolada e só a polícia teve acesso ao local onde ele mantinha a jovem dentro do carro.
Um colega de farda, que trabalhou com o cabo, quando ele era lotado no 28º Batalhão da PM, em Volta Redonda, foi para o local que ele mantinha a namorada sob a mira de uma pistola, no pátio de uma faculdade de Valença. Ele revelou ao portal que esteve na instituição para acompanhar as negociações. Isso porque era amigo, conhecia bem o cabo e poderia ajudar, de alguma forma, a convencer ele de se entregar.
O casal mantinha um relacionamento recente. Segundo essa fonte que estava no local, o cabo estaria disposto a se render e entregar a arma, quando a jovem teria começado a xingar o namorado. Entre uma das falas, a vítima teria dito “Atira! Você não é homem de fazer isso”, contou a testemunha. Em seguida, num acesso de fúria, o cabo teria disparado contra a estudante de odontologia.
O tiro acertou a boca da jovem. Tudo aconteceu no pátio da instituição, que fica no bairro de Fátima, onde a estudante de Barra do Piraí cursava pós-graduação. Após disparar, o cabo foi imobilizado e levado para delegacia (91ª DP). O delegado titular, Carlos César, lamentou o ocorrido. “Infelizmente fomos surpreendidos com esse fato inusitado, que terminou com esse desfecho trágico”, comentou.
Ela teria chegado com dificuldades de respirar e sem pulso no hospital. A faculdade decretou luto oficial por três dias. Por nota, a instituição lamentou o ocorrido e disse que está colaborando com as investigações.
– É com enorme pesar que comunicamos o falecimento da nossa aluna de Pós-graduação, Mayara Pereira de Oliveira Fernandes. Hoje (27/11), vivenciamos um trágico e absurdo caso de feminicídio em nosso campus. Um homem armado fez de refém, agrediu e atirou em uma aluna dentro do estacionamento da Fundação.
Um acontecimento inesperado em uma cidade tão tranquila quanto Valença, mas que infelizmente reflete um cenário nacional de violência contra a mulher. Vivenciar essa situação é revoltante e extremamente entristecedor. Nos sentimos impotentes ao testemunhar, mesmo com ação imediata da polícia no local, um desfecho trágico. A vítima foi conduzida ao hospital pela ambulância Samu, mas não resistiu. O assassino foi conduzido à 91ª Delegacia de Polícia Civil.
Estamos todos muito abalados e unidos em pensamento pela família da Mayara. Seguimos colaborando com autoridades no desdobramento da situação e à disposição da família para suporte nesse momento de dor – falou a faculdade na nota.
Todas as atividades, presenciais, remotas e EaD, estão suspensas até a próxima segunda-feira (30). Caso a família queira um espaço para falar sobre o ocorrido, estamos à disposição para divulgar uma declaração.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).