EUA decidem fechar o país para brasileiros por causa do Covid-19

0
98
Foto: Leah Millis / Reuters.
INTERNACIONAL

Atualizado às 08h48min.
Os Estados Unidos anunciaram no domingo (24) que vão proibir a entrada no país para ida de brasileiros as terras do “Tio Sam”. A decisão foi tomada por causa da pandemia do novo coronavírus. O decreto já foi assinado pelo presidente Donald Trump.
A Casa Branca já havia dito que haveria a possibilidade de barrar os viajantes do país. O governo teme maior número de contaminação, já que o Brasil é o epicentro do surto da covid-19 na América do Sul. 
A OMS (Organização Mundial da Saúde) fez um alerta sobre a situação do Brasil e destacou que as curvas são alarmantes. De acordo com o Ministério da Saúde do país, são 354.460 casos de infecção e 22.412 mortes, até domingo (24).

Isenção da restrição

Em comunicado, a secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, informou que a medida protetiva vale também para todos que passaram pelo Brasil nos últimos 14 dias.
Vôos comerciais entre os dois países não sofrerão a imposição. No entanto, o mesmo vale para membros de tripulações de companhias aéreas e para pessoas que forem convidadas pelo governo dos EUA a ingressem no país.
Da mesma forma, pessoas que residem nos EUA ou que sejam casadas com cidadão ou cidadã, ou que tenham residência permanente não terão restrição aos Estados Unidos. Filhos e irmãos destes, desde que seja menor de 21 anos, também estão isentos da medida.
Filipe Martins, assessor especial da presidência da república, publicou em seu perfil no Twitter um comentário sobre a decisão de Trump. “Ao banir temporariamente a entrada de brasileiros nos EUA, o governo americano está seguindo parâmetros quantitativos previamente estabelecidos, que alcançam naturalmente um país tão populoso quanto o nosso. Não há nada específico contra o Brasil. Ignorem a histeria da imprensa”.
Outros países do Mercosul, como Paraguai e Argentina também proibiram entrada de brasileiros por conta do aumento de casos no país.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).