Atualizado às 14h33min.

VOLTA REDONDA
A Câmara Municipal de Volta Redonda se juntou ao movimento para tentar manter o atendimento da Defensoria Pública da União (DPU) que ameaça encerrar as atividades no fim de julho. Uma comissão da sociedade civil, Movimento Ética na Política (MEP), OAB-VR (Ordem dos Advogados do Brasil) e o chefe do núcleo Volta Redonda da DPU foram recebidos pelo vereador e presidente da Câmara, Edson Quinto (PL), na tarde de terça-feira (16).
O risco de fechamento é eminente, diante de uma Lei 13.328 de 2016 prevê a “repatriação” de funcionários cedidos por mais de três anos. Esse tempo termina agora e todos esses servidores terão que retomar e a DPU teria que arcar com os custos dos funcionários e para isso não existe recursos.
A medida deve fechar 43 unidades da DPU em todo Brasil. Um projeto de lei (PL) e uma proposta de emenda constitucional (PEC) podem mudar e evitar o fechamento. Porém ainda estão tramitando no congresso e sem previsão de serem votadas. No Rio, além de Volta Redonda, São João de Meriti, na Baixada, e Niterói na Região Metropolitana também podem encerrar as atividades.
Na reunião o chefe do núcleo de Volta Redonda, Claudio Luiz Santos, explicou que existem 26 pessoas trabalhando na DPU da cidade. Três defensores, dois servidores, sete terceirizados e 14 estagiários. Segundo ele, 828 servidores devem ser remanejados em todo país. O custo é de R$ 100 milhões ao ano. “Hoje atendemos Volta Redonda, Barra Mansa, Porto Real e Rio Claro. Além de projetos assistidos pela DPU em mais oito cidades da região. Acreditamos que podemos evitar esse fechamento. Esperamos encontrar essa saída com a ajuda de todos”, ressaltou.
Edson Quinto se comprometeu em ajudar no movimento de tentar evitar o fechamento. Uma coletiva de imprensa foi marcada para próxima segunda-feira (22). Na próxima quarta (24), um ato simbólico de um “abraço” acontecerá na DPU, no bairro Aterrado, perto da prefeitura, às 11h da manhã. “Precisamos falar sobre o problema e mobilizar o máximo de pessoas possível para ir até esse movimento. Vamos também falar com os vereadores para ver com deputados e lideranças para evitar esse fechamento”, afirmou o parlamentar.
O chefe do núcleo de Volta Redonda DPU, Cláudio Santos, à esquerda, tem esperanças de que uma solução seja encontrada.

 


Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).